Início » História » 12 trabalhos de Hércules: conheça a mitologia

12 trabalhos de Hércules: conheça a mitologia

Compartilhe!

Hércules era filho de Zeus e a humana Alcmena, na mitologia grega, e os 12 trabalhos de Hércules representam a sua passagem mais famosa na literatura. O nascimento do semideus não agradou a esposa de Zeus, Hera, que tentou matar o filho de seu marido em diversas oportunidades.

Hércules, no entanto, era forte e poderoso. Insatisfeita, a deusa o perseguiu até que ele enlouquecesse, entrando em sua própria tragédia pessoal ao atear fogo na própria casa, matando sua esposa e seus filhos. Em busca do Oráculo de Delfos, recebeu a tarefa de servir aos Euristeus para buscar sua redenção.

O rei de Micenas entregou a ele 12 tarefas perigosas, que passaram a ser chamadas de os 12 trabalhos de Hércules.

O leão de Neméia

O primeiro entre os 12 trabalhos de Hércules  era eliminar o gigantesco leão de Neméia, que aterrorizava o povo. Poderoso e entocado em uma caverna que favorecia sua posição, o leão era invulnerável às armas. Como a caverna possuía duas saídas, Hércules fechou um dos lados e aguardou o leão do outro lado.

Desferiu-lhe um primeiro golpe para que pudesse montá-lo e, então, estrangulá-lo até a morte. Com as patas do leão morto, o herói extraiu sua pele para que fosse usada como armadura.

A hidra de lerna

Outro monstro que apavorava a população era a hidra de Lerna. Ela comia animais dos rebanhos e destruía plantações inteiras. Com nove cabeças, sendo, uma imortal, ninguém era capaz de derrotar o monstro.

Hércules percebeu que a cada cabeça que conseguia degolar, duas novas nasciam no lugar, tornando a hidra ainda mais perigosa. Para vencê-la, contou com a ajuda do amigo Iolaus para que, sempre que cortasse uma cabeça, seu pescoço fosse cauterizado. Isso impedia que as novas cabeças surgissem. Quando finalmente restou apenas a cabeça imortal, o semideus enterrou-se sob uma gigantesca pedra, queimando todos os restos do ser.

O Javali de Erimanto

Outro monstro presente nos 12 trabalhos de Hércules era um javali enorme e feroz que vivia no monte Erimanto, atacando a todos. A tarefa era capturá-lo vivo. Para isso, perseguiu o javali inteligentemente até que ele ficasse exausto, sendo facilmente dominado.

A captura da corça de Cerínia

Ártemis havia transformado uma ninfa em uma corça com pés de bronze a cifres de ouro, incapaz de ser alcançada, tamanha sua velocidade. Para vencê-la, Hércules a perseguiu incansavelmente, até que o corça cansou-se e parou para beber água.

Então, o semideus acertou uma flecha em uma de suas patas, finalmente conseguindo alcançá-la para mostrar a captura ao rei Euristeu.

Aves de Estínfalo

Sua quinta tarefa era livrar-se de aves agressivas com asas, garras e bicos de ferro. Para isso, atraiu-as com música em um pântano. Quantos todas foram reunidas, acendeu uma tocha para provocá-las. Hércules usou flechas envenenadas no sangue da hidra para que os animais fossem mortos ou fugissem permanentemente do local, completando a tarefa.

Estábulos de Áugias

Muito menos glamourosa que as tarefas anteriores, o sexto dos 12 trabalhos de Hércules era limpar os enormes estábulos do rei da Élida, Áugias. Sem cuidar do local habitado por grandes rebanhos, havia uma gigantesca quantidade de estrume, com um cheiro capaz de matar alguém. Para cumprir a tarefa, Hércules utilizou sua força para desviar o curso de dois rios, levando de vez todo o estrume presente.

Touro de Creta

Minos possuía um enorme touro branco que tornou-se furioso e devastava campos pela ilha de Creta. Hércules, através de sua força, montou o touro e dominou-o, levando-o até Euristeu.

Éguas de Diomedes

O oitavo entre os 12 trabalhos de Hércules era domesticar os cavalos carnívoros, capazes de soltar fogo pela boca, do rei Diomedes. Diomedes dava seus prisioneiros e inimigos como alimento para os cavalos, e o fez com Hércules. Destemido, o herói escapou dos ataques e foi capaz de levar os cavalos a comerem o próprio rei.

Cinto de Hipólita

O cinto de Hipólita, rainha das amazonas, era desejada pela filha de Euristeu, Admete. Então, ele ordena Hércules a obter o cinturão. Ele o faz sequestrando a irmã de Hipólita (ou, em outra versão, seduzindo a rainha).

Com provocações de Hera, todas as amazonas decidem atacar e matar Hércules. A raiva e a confusão do trote dos cavalos, no entanto, faz com que as ordens da rainha não sejam ouvidas, permitindo que Hércules vencesse a batalha.

Bois de Gerião

O gigantesco Gerião possuía três corpos sobre apenas um par de pernas. Ele possuía um grande rebanho de bois, guardado por um cão de duas cabeças. Para que pudesse tomar o rebanho para o rei, precisou matar o cão, o postar e o próprio Gerião.

Apesar de sua monstruosidade, Gerião possuía os membros inferiores idênticos ao de qualquer humano. Hércules utilizou-se disso para derrubá-lo e, assim, esmagar os três corpos do inimigo.

Os pomos de ouro

O penúltimo dos 12 trabalhos de Hércules era conseguir, para Euristeu, as famosas maçãs de ouro que nascam no jardim das Hespérides, filhas do titã Atlas. Sem encontrar as maçãs, Hércules encontrou Atlas, em sua tarefa de carregar o mundo. Ofereceu-se para ficar em seu lugar, desde que o titã fosse buscar as raras maçãs douradas.

Atlas buscou os frutos e os levou a Hércules. Decidiu, no entanto, não sofrer mais de sua tarefa eterna, e disse a Hércules que o deixaria em seu lugar. Hércules, sem deixar-se abalar com a traição, disse que aceitaria, desde que pudesse levar os frutos ao rei, para completar sua tarefa. Atlas aceitou e deixou Hércules partir. O semideus entregou o mundo a Atlas e nunca mais voltou.

Guardião do Hades

O último dos 12 trabalhos de Hércules era levar Cérbero, o cão de três cabeças e cauda de serpente, que guardava o Hades, ao rei. Para fazer isso, entrou em acordo de que mostraria Cérbero a Euristeus e o devolveria para que guardasse os portões do mundo dos mortos. Cumprindo sua promessa, encerrou os doze trabalhos, sendo finalmente libertado.


Compartilhe!

Comentar

Clique aqui para postar um comentário