Início » História » Acidente da usina nuclear de Chernobyl: causas e consequências

Acidente da usina nuclear de Chernobyl: causas e consequências

Compartilhe!

A Usina Nuclear de Chernobyl ficava na cidade de Pripyat na Ucrânia, quando ainda era parte da União Soviética, continha quatro reatores que se transformaram no cenário de um dos maiores acidentes nucleares da história. A Usina de Chernobyl era utilizada para gerar a energia para o país.

O Acidente

O acidente aconteceu em 26 de Abril de 1986, quando um dos quatro reatores da usina explodiu, causando diversas reações em cadeia, e as razões da explosão até hoje são extremamente controversas e mal explicadas.

Existem pessoas que afirmam que a explosão foi falha dos operadores enquanto outros afirmam que foi uma falha no projeto das hastes de controle do reator que explodiu. As hastes dos reatores costumam ser feitas por elementos como o Cádmio, que tende a absorver os nêutrons e amenizar as reações no interior do reator.

Também é possível que o acidente tenha acontecido por conta de diversos procedimentos irregulares, que não seguiam as normas de segurança que eram executados na usina nuclear. O relatório dos procedimentos que estavam sendo realizados na data da explosão, afirmam que uma equipe operacional planejou um teste para ver se as turbinas do reator Chernobyl-4 tinham capacidade de gerar energia suficiente para manter as bombas do líquido de refrigeração em pleno funcionamento, caso a usina passasse por problemas de potência, até que o gerador de emergência pudesse ser ativado.

Em pouco tempo, toda potência e temperatura do reator subiram de forma extrema, gerando explosões que geraram ainda mais energia para as reações, além disso, o oxigênio do ar entrou, o que piorou ainda mais todo processo de combustão, espalhando ainda mais toda a radiação.

Após o acidente

Os dias que vieram após o acidente foram os que mais tiveram radiação liberada, principalmente com a grande quantidade de vento e chuvas. A contenção do reator que explodiu era feita com areia e chumbo, tanto para o incêndio, quanto para a radiação respectivamente.

Os responsáveis por essas ações eram conhecidos como homens liquidadores que acabaram perdendo a vida combatendo o incêndio.

Os moradores da cidade precisaram ser evacuados e 10 dias após todo o desastre a emissão de radiação proveniente do reator explodido foi cessada. O governo contabilizou 15 mil mortes e demais fontes afirmam até 80 mil mortos. Até hoje, milhares de pessoas sofrem com os efeitos dessa radiação.

Apenas no ano de 2000 que as usina foi completamente desativada, e toda a área ao redor da usina se transformou em uma verdadeira cidade fantasma que ainda sofre com os efeitos radioativos. Demais países também afirmam sofrer com os efeitos causados pela radiação proveniente da explosão na usina de Chernobyl, como a Itália e a Dinamarca.

Em razão do acidente, diversos especialistas afirmam que o acidente nuclear de Chernobyl poderia ter sido menor se a usina contasse com cúpulas de aço e cimento fazendo a proteção do local. Com isso, o reator 4 está atualmente em um verdadeiro sarcófago de concreto e aço, e é exatamente assim que se chama o local onde ele está guardado para evitar que mais radiação seja espalhada pelo reator explodido.


Compartilhe!

Comentar

Clique aqui para postar um comentário