Início » Biologia » Animais ovíparos: Principais características

Animais ovíparos: Principais características

Compartilhe!

Animais ovíparos pintinhos

Os animais ovíparos são parte da taxonomia dos animais, embora não constituam um grupo morfológico exclusivamente seu. Podem ser formados por animais vertebrados ou invertebrados, de diversas características diferentes. Por isso, o que os define como uma categoria unida é sua forma de reprodução.

Peixes, aves, anfíbios, répteis, insetos e aracnídeos são os principais exemplos utilizados de animais ovíparos. A forma de fertilização destes animais pode variar significativamente – o que os caracteriza é o ato de utilizar ovos como forma de desenvolvimento da nova vida.

Saiba o que são os animais ovíparos, suas principais características, e diferenças em relação aos vivíparos:

O que são os animais ovíparos?

A definição de ovíparos pode ser definida diretamente pelo significado da palavra. “Ovi” tem o significado etimológico de “ovo”, enquanto “paros” diz respeito ao nascimento. Desta forma,um animal ovíparo é aquele que nasce de um ovo.

Diversas espécies são definidas nesta categoria, no reino animal. De maneira geral, o ovo é uma forma de proteger o embrião que está sendo desenvolvido em seu interior de riscos externos. É por isso que muitos ovos possuem uma casca rígida, por exemplo.

Quando o gene materno entra no espaço que irá tornar-se um ovo, ele começa a formação de uma casca externa. Na grande maioria dos casos, o meio de reprodução dos animais ovíparos é sexuada, e os genes do macho são unidos aos da fêmea, gerando o embrião posicionado dentro do ovo. O ovo, no entanto, desenvolve-se fora da mãe, após a formação do embrião.

O ovo, já fora da fêmea, desenvolve-se no ambiente, dependendo de uma série de características que variam de acordo com a espécie. Estes fatores podem ser temperatura, iluminação, proteção externa, ou presença de certos componentes em seu redor.

Nem todos os ovíparos possuem a fertilização desta maneira, embora – de forma geral – este seja o processo básico do desenvolvimento do embrião em um animal. Todos os animais invertebrados são, por regra, ovíparos. Os vertebrados, por sua vez, podem fazer parte ou não desta categoria, a depender de características próprias da espécie.

O desenvolvimento do embrião dentro do ovo é bastante correlacionado ao desenvolvimento de um embrião dentro do corpo materno. Por isso, pode-se dizer que suas diferenciações costumam estar mais no meio de desenvolvimento do que em sua forma.

Diferenças em relação a animais vivíparos

As principais diferenças entre ovíparos e vivíparos são, como mencionado, relacionadas ao meio de desenvolvimento do embrião. A diferença mais clássica é, por óbvio, que ovíparos desenvolvem-se em ovos, enquanto vivíparos desenvolvem-se dentro da própria mãe.

O ovo é expelido para fora do corpo materno para que o embrião desenvolva-se com os nutrientes já armazenados dentro dele. Os ovos destes animais são envoltos por uma casca (quase sempre) rígida para proteger o embrião em desenvolvimento. Já os animais vivíparos, por desenvolverem-se dentro da fêmea, não necessitam de nenhum tipo de casca externa enquanto crescem.

Nestes casos, a própria fêmea é a proteção do filhote, mais protegido. Em contrapartida, a produção de ovos costuma ser muito mais rápida do que a produção de fetos internos. Neste sentido, a estratégias dos ovíparos e perpetuar a espécie através da quantidade, enquanto os vivíparos apostam na segurança de cada ninhada.


Compartilhe!

Comentar

Clique aqui para postar um comentário