Início » Artes » Arte rupestre: importância e significados

Arte rupestre: importância e significados

Compartilhe!

A arte rupestre, que é conhecida também como gravura ou pintura rupestre, surgiu durante o período Paleolítico Superior (cerca de 40.000 a.C.) e são registros das manifestações da época. Para a produção destas “obras”, os primeiros humanos utilizavam extrato de folhas, terra colorida, fragmento de rochas, sangue e pelos.

Estas representações gráficas, através de desenhos, símbolos e sinais, em paredes, tetos e outras superfícies de cavernas são conhecidos como a expressão artística mais antiga da história. Já é possível identificar o uso de diferentes tonalidades na produção dos desenhos.

Contudo, a hipótese mais aceita entre os historiadores, referente a motivação para a produção destas obras, é de que nossos antepassados criavam estas imagens com um propósito utilitário e não artístico.

Nas representações rupestres eram retratados os hábitos destes primeiros povos, como a caça de animais, danças, lutas corporais e rituais, sendo que até mesmo partos e relações sexuais. Contudo, a pintura rupestre não estava limitada apenas ao registro do cotidiano.

Estas representações abrangiam também aspectos aparentemente ligados ao culto ou crenças religiosas. É possível identificar círculos, espirais, cruzes e outros objetos geométricos pintados nas cavernas.

Este tipo de representação aumenta o desafio para compreender o real significado das obras, enfrentado por arqueólogos e paleontólogos.

A arte rupestre no Mundo

Atualmente, já foram identificados mais de 400 mil sítios arqueológicos de arte rupestre, espalhados por todos os continentes.

Em vários países, encontram-se cavernas com pinturas rupestres, sendo que, entre os sítios mais famosos estão: A caverna de Les Trois-Frères, na França; O complexo de cavernas de Lascaux, na França; A caverna de Altamira, na Espanha; e o Vale Camonica, na Itália. Destas, podemos destacar o complexo de cavernas de Lascaux, no sul da França, que foi descoberto em 1940.

Pesquisas sugerem que esses desenhos datam de aproximadamente 17.000 anos atrás. Contudo há outros sítios com pinturas rupestres muito mais antigas que datam de 40.000 anos atrás.

Arte rupestre no Brasil

No Brasil também é possível encontrar manifestação de pinturas rupestres por todo território nacional. Há gravuras rupestres em território nacional que datam de aproximadamente, entre 3.000 e 10.000 anos atrás.

Um dos mais sítios arqueológicos mais importantes fica no Parque Nacional da Serra da Capivara, na cidade de São Raimundo Nonato, no estado do Piauí. Nele há o maior acervo de arte rupestre do continente americano, sendo tombado pela UNESCO como Patrimônio Mundial da Humanidade.

Contudo, há também outros sítios arqueológicos de arte rupestre, espalhados pelo Brasil:

  • Rondonópolis, no Mato Grosso;
  • Lagoa Santa, em Minas Gerais;
  • Parque Nacional Sete Cidades, no Piauí.
  • Cariris Velhos, na Paraíba;

No Nordeste brasileiro, nos estados do Rio Grande do Norte, Piauí e da Paraíba, é atualmente a maior concentração de arte rupestre conhecida do mundo.

O clima seco, a vegetação impenetrável e a dificuldade de ocupação em algumas áreas, contribuíram para conservação dessa arte. Infelizmente, muitas das gravuras dos sítios arqueológicos do Brasil já foram destruídas, ou estão ameaçadas.

Nos sítios brasileiros, os temas retratados nas gravuras e pinturas rupestres geralmente estão ligados ao cotidiano, como fertilidade, caça, utensílios domésticos e ferramentas de trabalho. É possível identificar três estilos predominantes de arte rupestre nos sítios brasileiros.

As figuras de representação humana são a marca da tradição Nordeste. O traçado geométrico pertence à tradição agreste. Já as gravuras na pedra formam a tradição Itacotiara. Acredita-se que muitas cenas possuem um significado místico, ligado a crenças religiosas.

As pinturas rupestres nos sítios brasileiros foram produzidas com os dedos ou com a ajuda de utensílios. As cores utilizadas nas representações foram obtidas do óxido de ferro (vermelha e amarela), do carvão (preta), e também através do uso de cera de abelha. Substâncias líquidas como, água, clara de ovo e sangue também foram identificadas nestas pinturas.


Compartilhe!

Comentar

Clique aqui para postar um comentário