Início » Geografia » Camadas da atmosfera: composição e características

Camadas da atmosfera: composição e características

Compartilhe!

As camadas da atmosfera terrestre consolidam uma série composições distintas, com características próprias, que acabam permitindo que nosso ambiente aconteça. Saindo do nível do solo em direção oposta à terra, essas camadas da atmosfera são chamadas de troposfera, estratosfera, mesosfera, termosfera e exosfera.

A exosfera é a cama que gradualmente se dissipa, superando a unidade do planeta Terra de todo o espaço interplanetário. Saiba mais sobre cada uma dessas camadas da atmosfera, entenda sua composição e a sua função em nosso planeta:

Troposfera

A troposfera é a camada mais próxima ao solo terrestre. Trata-se, na prática, da camada atmosférica na qual nós mesmos vivemos. Ela se estende desde o nível do mar até cerca de 10 quilômetros de altura, ou 33 mil pés.

Praticamente todas as mudanças climáticas, nuvens e intervenções que sentimos em nossa rotina ocorrem na troposfera. Não à toa, cerca de 99% de todo o vapor de água existente na atmosfera está nesta camada. À medida em que vamos a pontos mais altos da troposfera, a pressão do ar cai e a temperatura se torna mais baixa.

Estratosfera

A camada que envolve a troposfera é a estratosfera. Ela é encontrada entre 10 km e 50 km acima do nível do mar, em nossa atmosfera. É nessa camada que a famosa “cama de ozônio” está disposta, por exemplo, auxiliando no processo de filtragem dos rios ultravioleta de alta energia vindos do sol.

Diferentemente da troposfera, a estratosfera torna-se mais quente na medida de seu afastamento em relação à terra. Isso gera menos correntes de ar, o que justifica o motivo pelo qual vários voos comerciais adotam as partes mais baixas da estratosfera para terminar a viagem com menos turbulências.

Mesosfera

A terceira entre as camadas da atmosfera é a mesosfera. Ela dá continuidade cerca de 35 quilômetros em relação aos 50 km de altitude onde a estratosfera acaba. É nessa camada, por exemplo, que a maior parte dos meteoros que entram em nossa atmosfera queimam e se deterioram.

Invertendo a lógica da camada superior mais uma vez, a mesosfera se torna mais fria na medida em que a altitude aumenta. É nela, por exemplo, que a temperatura mais fria da atmosfera terrestre pode ser encontrada, atingindo cerca de 90 graus Celsius negativos na parte mais alta dessa camada.

A pressão é significativamente mais baixa do que aquela que conhecemos. Nas partes mais baixas da mesosfera, ela é de cerca de 1% em relação à pressão que normalmente conhecemos, e o ar se torna ainda mais rarefeito nos pontos mais altos.

Termosfera

A camada de ar extremamente rarefeito acima da mesosfera é chamada de termosfera. A alta energia dos raios ultravioleta vindos do sol começam a ser absorvidos nessa camada, aumentando a temperatura para várias centenas (ou mais) de graus.

Mesmo assim, se fôssemos até a termosfera, sentiríamos frio de tão rarefeita que é a camada. Em várias características, a termosfera é mais parecida com o espaço sideral do que com uma das camadas da atmosfera. Seu espaço não é completamente definido, pois depende da temperatura e da influência do sol.

A termosfera pode estar entre 500 e 1.000 quilômetros do nível do mar, e suas temperaturas podem variar de 500 a 2.000 graus Celsius. É nessa camada, por exemplo, que vários satélites orbitam o planeta Terra. Também é nela que as auroras ocorrem.

Exosfera

A exosfera é uma espécie de envelope gasoso. Para muitos, ela nem mesmo faz parte das camadas da atmosfera, de tão rarefeito que é o ar nessa região.

Na prática, a exosfera parece estar lentamente “vazando” no espaço. Sua altura pode atingir entre 100 mil e 190 mil quilômetros em relação à superfície terrestre.


Compartilhe!

Comentar

Clique aqui para postar um comentário