Início » Artes » Concretismo: o que foi o movimento?

Concretismo: o que foi o movimento?

Compartilhe!

concretismo é movimento artístico e cultural que tinha como objetivo central a criação de uma nova forma de arte abstrata. Este movimento surgiu na Europa durante o século XX. Para os artistas do movimento concretista a arte é autônoma e a sua forma remete a realidade, retratando a realidade palpável em diferentes formas e perspectivas.

Eles buscavam a incorporação das diversas formas de manifestação artísticas (música, arquitetura, poesia, esculturas) às estruturas matemáticas geométricas.

O termo concretismo aparece pela primeira vez em uma publicação da revista Homônimos, de Paris. No texto escrito por Theo van Doesburg, é descrito a definição do que seria a base da pintura concreta:

  • A obra de arte deve ser inteiramente concebida e formada pelo espírito antes de sua execução […];
  • A arte é universal;
  • O quadro deve ser inteiramente construído com elementos puramente plásticos, isto é, planos e cores. Um elemento pictural só significa a ‘si próprio’ e, consequentemente o quadro não tem outra significação que ‘ele mesmo’;
  • A técnica deve ser mecânica;
  • A construção do quadro, assim como seus elementos, deve ser simples e controlável visualmente;
  • Esforço pela clareza absoluta.

Principais elementos do concretismo

A arte concreta busca a negação de qualquer aspecto nacionalista, se afastando também da representação do natural, negando as correntes artísticas subjetivistas e líricas, recusa o sensualismo e a arte como expressão de sentimentos.

As principais características deste movimento na literatura são: o banimento do verso, o aproveitamento do espaço do papel, a valorização do conteúdo sonoro e visual, possibilidade de diversas leituras através de diferentes ângulos. Contudo podemos destacar outras características como:

  • Sintaxe visual em detrimento da discursiva;
  • Utilização de efeitos gráficos;
  • Banimento da estrutura formal, como os versos e as estrofes;
  • Defesa da racionalidade;
  • Aversão ao Expressionismo;
  • Rejeição ao acaso e a abstração lírica;
  • Busca de precisão nas formas;
  • O papel torna-se a tela e o artista aproveita todo o espaço;
  • Uso de formas abstratas;
  • Influência do Cubismo;
  • União entra a forma e o conteúdo;
  • Defesa da racionalidade, lógica e cientificismo;

 

Origem e principais nomes do movimento

O movimento Concretista surge no continente europeu em 1917. A arte concreta surge como oposição à arte abstrata. Ponto, linha, cor e plano não figuram nada e são o que há de mais concreto na produção da obra.

Segundo o artista Doesburg, a representação de uma árvore, um nu feminino ou da natureza-morta, não são representa elementos concretos, mas sim apenas abstrações. Assim sendo, o que há de concreto numa pintura, para este movimento, são os elementos formais.

Estre os principais nomes do movimento Concretista estão Piet Mondrian e Doesburg, que buscavam a pureza e o rigor formal na ordem harmônica do universo. Estes artistas defendiam os ideais da Bauhaus, onde a racionalidade deve estar presente em todos os âmbitos sociais.

 

Outro artista importante ao movimento, foi suíço Max Bill (1908-1994), que atuou como arquiteto, designer gráfico, pintor, escultor, professor. A obra de Max Bill o coloca entre os mais importantes e influentes designers do século XX.

Para Bill, um dos principais responsáveis pela divulgação da arte concreta na América Latina, a matemática é o meio mais eficiente para o conhecimento da realidade objetiva. Segundo ele, uma obra plástica deve ser organizada pela geometria e pela clareza formal.

No Brasil

Esse movimento chega ao Brasil por volta de 1950, trazido pelo Suíço, Max Bill, um dos nomes mais influentes do movimento, ao lado do artista russo Vladimir Maiakovski. Através do trabalho de Max Bill, houve a popularização das concepções dessa nova tendência, durante a Exposição Nacional de Arte Concreta, em 1956.

O movimento concreto se constituiu primeiro na cidade de São Paulo, durante a década de 50. O grupo concretista de São Paulo fundou a Revista “Noigandres” em 1952, que foi fundamental para difusão das ideias atreladas ao movimento.


Compartilhe!

Comentar

Clique aqui para postar um comentário