Início » Artes » Cores frias: O que são e o que representam?

Cores frias: O que são e o que representam?

Compartilhe!

Cores frias

A cor é um dos aspectos mais importantes para o design de obras, objetos, roupas e qualquer outra coisa física – e ela pode ser dividida em dois grandes grupos: cores frias e cores quentes. A cor modifica o tipo de emoção e memória que aquele objeto gera ao ser observado.

Ela pode ativar reações diferentes, que podem ser conscientes e inconscientes (como acalmar ou agitar alguém). Cada vez mais, o estudo de diferenciação entre cores frias ou quentes é aplicado às cores cotidianas, tornando-as mais influentes em nossas vidas.

Em provas e concursos, a compreensão de cores frias ou quentes pode ser essencial para entender o real significado de obras e mensagens. Saiba algumas das principais características das cores frias, e suas influências sobre obras e objetos:

Como a temperatura das cores afeta a percepção espacial?

Algo que costuma ser perguntado em relação à estética é a influência de uma cor na percepção espacial. Em uma união de efeitos fisiológicos e psicológicos, as cores mais quentes parecem expandir-se e tomar lugar, enquanto as cores frias parecem “contrair”, gerando impressão de mais espaço.

O que são as cores frias?

Cores frias são aquelas geralmente entendidas nas escalas do azul, do verde e do roxo claro, por exemplo, e geralmente oferecem um efeito de distanciamento, calma e imensidão. Enquanto as cores quentes costumam ser associadas ao sol, na natureza, as frias são essencialmente relacionadas aos céus e à água.

No que diz respeito às emoções, ela geralmente é associada à calma, à tranquilidade, ou à tristeza, solidão, distanciamento e etc. Em obras, portanto, ela pode conotar alguma destas emoções, definidas a partir de um contexto.

Cores frias misturam-se com as quentes?

Sim, em processos de equilíbrio de cores, é possível misturar cores de temperaturas diferentes. Este equilíbrio é obtido através da mistura de elementos definidos pela chamada teoria das cores, que gera harmonia através da mistura de cores variadas.

E quando não há um equilíbrio entre cores frias e quentes?

Especialmente em uma obra, quando há um desequilíbrio na temperatura de cores, isso costuma indicar uma intenção do autor em relação aos elementos apresentados. Um dos casos mais típicos é a obra Guernica, de Picasso.

Essencialmente fria, a obra busca representar a desesperança, a tristeza e o desespero solitário da guerra através da escolha de cores.

Dicas para provas

Sempre que provas envolverem questões sobre artes e estética, as chances de haver análises de obras são altas. Não raras vezes, saber o que cores frias e quentes significam pode ajudar bastante.

Confira algumas dicas e análises relacionadas a cores que podem garantir alguns acertos adicionais para você:

Relação entre cor predominante e contexto: muitas vezes, você pode garantir seu acerto correlacionando a “temperatura das cores” e o seu contexto. Em uma obra que trate de um período de guerras, por exemplo, e utilize cores predominantemente frias, pode-se sugerir uma certa desesperança.

Já em uma obra com tema religioso, especialmente cristãs, cores frias podem ser associadas ao paraíso e às amenidades, enquanto as quentes podem ser associadas ao sofrimento e ao inferno.

Contrastes de concentração de cores em uma mesma obra: algumas obras optam por não equilibrar a relação de cores frias e quentes de forma distribuída. Por vezes, optam por isolar os elementos para gerar contraste. Exemplos claros disso são encontrados na arte barroca, e em diversos temas religiosos.

Em uma obra que represente céu e inferno, por exemplo, costuma ser possível diferenciar os dois elementos a partir das cores escolhidas. Este tipo de representação é geralmente utilizado para demonstrar paradoxos diversos, e indica – já de início – conflitos a serem analisados.

Inversão de cores esperadas em certo contexto: imagine, utilizando os mesmos exemplos das dicas anteriores, situações invertidas. Se as representações paradisíacas estiverem em cores quentes, e as infernais em cores frias, isso certamente não é uma coincidência.

A desconstrução de valores estéticos esperados quase sempre carrega uma mensagem. Nestes casos, dê bastante atenção ao contexto da obra para interpretar o que essa inversão significa.


Compartilhe!

Comentar

Clique aqui para postar um comentário