Início » Artes » Cores Secundárias: O que são e o que representam?

Cores Secundárias: O que são e o que representam?

Compartilhe!

Cores secundárias

Cores secundárias são aquelas formadas a partir da mistura direta entre duas cores primárias. Assim como as primárias, existem três cores secundárias, e elas são uma espécie de “segunda geração” de uma escala de cores.

A mistura entre uma cor secundária e uma cor primária que a origina é capaz de gerar cores terciárias. Essas três gerações de colorização são responsáveis por formar todas as tonalidades que conseguimos enxergar

Em outras palavras, as cores secundárias representam os “intermediários” na formação de tons, e são essenciais para a compreensão da teoria das cores. Entenda como são formadas as cores secundárias, quais são elas, e aprenda um exercícios prática para compreendê-las melhor:

A base das cores secundárias: as primárias

Sempre que falamos em cores, é possível dizer que cada uma delas possui um tipo de raiz: as cores primárias. Estes pigmentos básicos, quando misturados, são capazes de formar novas cores que, quando cruzadas, geram nova gerações de cores até que se estabeleça toda a gama de pigmentos perceptíveis.

As secundárias são as cores mais diretamente ligadas às primárias, no sentido em que são geradas diretamente a partir delas. Em geral, pode-se referir às cores primárias como Amarelo, Vermelho e Azul. Eles não podem ser criados a partir de outras misturas.

É comum encontrar, ainda, a nomenclatura de cores baseada na luz: Amarelo, Magenta e Ciano. Embora sejam tecnicamente diferentes, representam a mesma formulação básica de primárias.

Como são formadas as cores secundárias?

As cores secundárias são formadas a partir da combinação de quaisquer duas cores primárias. Cada cor primária pode, portanto, ser misturada com duas opções, gerando um total de três tons secundários possíveis.

Quais são estas cores secundárias?

Estas cores podem ser formadas das seguintes maneiras:

  • A mistura entre amarelo e vermelho resulta no laranja.
  • A mistura entre o vermelho e o azul resulta no roxo.
  • A mistura entre o azul e o amarelo resulta no verde.

Essas são as três cores chamadas de secundárias, capazes de dar origem às terciárias, em uma próxima etapa.

Exercício de compreensão e fixação: triângulo de cores

Uma das formas mais comuns de compreensão da interação das cores primárias resultando em cores terciárias é a utilização de um triângulo de cores. O triângulo de cores foi desenvolvido nos anos 1800 pelo pintor francês Delacroix. Ele permite enxergar a interação das cores e perceber qual o tom oposto na escala.

Triângulo das cores

Para fazer um triângulo de cores, será necessária uma folha, tela ou base branca de qualquer tipo, um pincel e tintas nas cores amarelo, vermelho e azul. Busque pela versão mais pura das cores – sem serem muito claras ou escuras, nem utilizarem variações estéticas da cor original.

O primeiro passo é desenhar um triângulo a lápis na base que será pintada. Faça-o com um bom tamanho, aproveitando o espaço disponível. Contorne este triângulo com outro maior, deixando ao menos três centímetros de largura na linha formada.

Em seguida, pinte um dos cantos de amarelo. Pinte desde o canto até cerca de um ou dois dedos antes da metade de cada lado para os quais aquele canto segue.

Repita o mesmo processo com o azul e com o vermelho, sempre deixando um ou dois dedos de distância entre as cores, no local onde se encontrariam. Com as cores pintadas, utilize o pincel para puxar as duas tintas que encontram-se em cada reta para o espaço em branco.

O que deve ocorrer é que as duas cores irão misturar-se formando cores secundárias ao longo do espaço que antes estava em branco. Observar este processo dá uma maior compreensão a respeito da formação das cores.


Compartilhe!

Comentar

Clique aqui para postar um comentário