Início » Geografia » Globalização: conceito, história e impactos na sociedade

Globalização: conceito, história e impactos na sociedade

Compartilhe!

É muito importante estudar a globalização porque entender a economia e política internacional contemporânea é uma parte essencial de ser um cidadão informado.

Além disso, compreender a globalização é uma parte muito importante da aprendizagem sobre o nosso envolvimento humano com o meio ambiente e a sociedade.

O que é a Globalização?

Após séculos de progresso tecnológico e avanços na cooperação internacional, o mundo está mais conectado do que nunca.

Globalização é a palavra usada para descrever a crescente interdependência das economias, culturas e populações do mundo, causada pelo comércio transfronteiriço de bens e serviços, tecnologia e fluxos de investimento, pessoas e informações.

Globalização

Os países construíram parcerias econômicas para facilitar esses movimentos ao longo de muitos séculos, mas o termo ganhou popularidade após a Guerra Fria no início dos anos 90, quando esses arranjos cooperativos moldaram a vida cotidiana moderna.

Os efeitos abrangentes da globalização são complexos e politicamente carregados. Tal como acontece com os grandes avanços tecnológicos, a globalização beneficia a sociedade como um todo, enquanto prejudica certos grupos.

Compreender os custos e benefícios relativos pode abrir o caminho para aliviar os problemas e, ao mesmo tempo, sustentar resultados mais amplos.

A história da globalização

A história da globalização é conduzida pela tecnologia, transporte e cooperação internacional. Desde a antiguidade, os seres humanos têm procurado lugares distantes para se estabelecer, produzir e trocar bens. Tudo isso possibilitados por melhorias na tecnologia e no transporte.

Veja também – Sustentabilidade: conheça o significado e como praticar

Entretanto, como citado anteriormente, só no século XIX a integração global decolou. Após séculos de colonização europeia e atividade comercial, essa primeira “onda” de globalização foi impulsionada por navios a vapor, ferrovias, telégrafo e outros avanços, e também pelo aumento da cooperação econômica entre os países.

A tendência da globalização finalmente diminuiu e caiu na catástrofe da Primeira Guerra Mundial, seguida pelo protecionismo do pós-guerra, a Grande Depressão e a Segunda Guerra Mundial.

Após a Segunda Guerra Mundial em meados da década de 1940, os Estados Unidos lideraram esforços para revitalizar o comércio internacional e os investimentos sob regras básicas negociadas, dando início a uma segunda onda de globalização, que continua em andamento, apesar de crises periódicas.

Causas

O que explica essa globalização? Certamente não é atribuível à conquista e nem aos episódios históricos anteriores em que um único sistema econômico dominou um vasto terreno geográfico.

A fonte está no desenvolvimento da tecnologia. Os custos de transporte, de viagens e, acima de tudo, os custos de comunicação de informações caíram drasticamente no período do pós-guerra, quase inteiramente por causa do progresso da tecnologia.

Os primeiros computadores estavam se arrastando nos primeiros anos do pós-guerra, e os telegramas eram o único meio rápido de comunicação escrita. Não havia fax, internet, e-mail ou rede mundial, nem computadores, satélites ou telefones celulares. Hoje testemunhamos fenômenos com os quais nenhum futurista sonhava há meio século.

É claramente a disponibilidade de comunicações baratas, rápidas e confiáveis ​​que permitem tais fenômenos, assim como esta é a chave para a integração do mercado internacional de capitais.

O mesmo fator é importante para estimular o crescimento de corporações multinacionais, uma vez que é isso que lhes permite explorar sua propriedade intelectual eficientemente em vários locais sem perder a capacidade de manter o controle da matriz.

Mas, nesse contexto, outros fatores também estão em ação, como a disseminação do conhecimento do consumidor sobre o que está disponível, que vem das viagens e da publicidade, ele próprio encorajado pela revolução das comunicações.

Controvérsias

A globalização é profundamente controversa, no entanto. Os proponentes da globalização argumentam que isso permite que os países pobres e seus cidadãos se desenvolvam economicamente e elevem seus padrões de vida, enquanto os opositores da globalização afirmam que a criação de um mercado livre internacional beneficiou corporações multinacionais no mundo ocidental à custa de empresas e culturas locais.

A globalização traz reorganização nos níveis internacional e nacional. Especificamente, traz a reorganização da produção, o comércio internacional e a integração dos mercados financeiros.

Isso afeta as relações econômicas e sociais capitalistas, via multilateralismo e fenômenos microeconômicos, como a competitividade empresarial, em nível global. A transformação dos sistemas de produção afeta a estrutura de classes, o processo de trabalho, a aplicação da tecnologia e a estrutura e organização do capital.

Globalização

A globalização é agora vista por muitos como responsável por marginalizar os trabalhadores menos instruídos e pouco qualificados. A expansão dos negócios não mais implicará automaticamente aumento de emprego.

A resistência à globalização, portanto, tomou forma tanto a nível popular como governamental, à medida que as pessoas e os governos tentam administrar o fluxo de capital, trabalho, bens e ideias que constituem a atual onda de globalização.

Para encontrar o equilíbrio certo entre os benefícios e os custos associados à globalização, os cidadãos de todas as nações precisam entender como a globalização funciona e as escolhas políticas que enfrentam a eles e suas sociedades.


Compartilhe!

Comentar

Clique aqui para postar um comentário