Início » Português » Literatura » Hilda Hilst: vida e obra

Hilda Hilst: vida e obra

Compartilhe!

Existem nomes da literatura que você deve conhecer para se dar bem nas provas, e Hilda Hilst é um deles. Apesar de não ter adquirido grande fama e repercussão durante sua carreira, a escritora deixou um grande acervo de poemas e obras significativas para a literatura nacional. Muito além de seus poemas, suas temáticas e sua vida ficaram marcadas na história da nossa literatura.

Por isso, vale a pena conferir um pouco sobre a história de Hilda Hilst, como transcorreu sua vida e sua carreira, ou seja, saber um pouco da sua biografia. Na sequência, é sempre conveniente analisar o contexto literário em que ela se insere, para que possamos compreender seu estilo literário, suas temáticas e sua obra como um todo.

Os momentos marcantes da vida e a da carreira

Hilda Hilst foi uma escritora brasileira, nascida em Jaú, cidade do interior de São Paulo, em 21 de abril de 1930. Durante a infância, teve de lidar com a separação dos pais, bem como com a doença que seu pai enfrentava, a esquizofrenia paranoide. Mas isso não a impediu de ser uma aluna exemplar, tendo ingressado na Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo em 1948.

Durante o ensino superior, Hilda Hilst fez amizade com a escritora Lygia Fagundes Telles, e seu primeiro livro é publicado em 1950, recebendo assim críticas muito positivas de autores renomados, como Cecília Meireles e Jorge de Lima. A partir de 1964, Hilda opta por levar uma vida mais tranquila, e muda-se para a fazenda de sua mãe, em Campinas.

Nessa fazenda, Hilda constrói para si um refúgio, o qual chama de Casa do Sol, onde viveu o resto de sua vida. Na Casa do Sol, a escritora recebe durante os anos outros escritores ilustres, como Caio Fernando de Abreu, por exemplo. No ano de 2004, Hilda falece aos 73 anos, devido a complicações enfrentadas após alguns procedimentos médicos.

O contexto em que ela se inseriu

Quando analisamos a carreira literária de Hilda Hilst, vemos que ela inicia seus trabalhos em 1950, e segue produzindo até quase o fim de sua vida. O contexto literário em questão é uma mescla da terceira geração modernista com a chamada literatura contemporânea. No entanto, Hilda Hilst não se insere no cenário nacional como participante de nenhum desses movimentos.

Logo, sua importância no contexto literário nacional está justamente na sua obra, a qual apesar de não ter recebido as graças da crítica e do grande público, apresenta riqueza de temática e construção poética. Fato interessante é a crítica embutida em vários trechos de sua obra à indústria das editoras, o que pode ter colaborado para que seus livros não tenham sido sucessos de vendas.

Porém, essa crítica não impediu que sua obra fosse traduzida para outros idiomas e atingisse diferentes leitores. Em 2001, a editora Globo comprou os direitos sobre sua obra e novos exemplares começaram a ser editados. Após sua morte, criou-se o instituto Hilda Hilst, onde antes era a sua Casa do Sol: uma forma de homenagem aos trabalhos de Hilda.

Seu estilo literário e sua obra

Já deu para perceber que a literatura de Hilda Hilst não é para qualquer leitor. O leitor preguiçoso com certeza corre o perigo de perder-se em suas reflexões, questionamentos filosóficos e abismos existenciais. Sua temática é variada, mas girou muito acerca do profano e do sagrado, sobretudo por meio de questionamentos e provocações do divino em seus textos e poemas.

Mas Hilda Hilst não se limitou à lírica. Sua obra compreende ficções, crônicas e peças teatrais. Fato interessante também é constatar que Hilda desafia as classificações clássicas dos gêneros literários. Por vezes, o leitor experimenta um misto de vários gêneros no mesmo texto.


Compartilhe!

Comentar

Clique aqui para postar um comentário