Início » Geografia » Horário de verão: como funciona?

Horário de verão: como funciona?

Compartilhe!

Já marcado no calendário de todos os brasileiros, o horário de verão é um período de troca de horários oficiais em parte do Brasil. Já previsto em lei, o chamado horário de verão inicia-se no terceiro domingo de todos os meses de outubro. Nesta data, o horário oficial das unidades federativas que participam da mudança deve ser adiantado em uma hora.

O horário alterado dura até o terceiro domingo de todos os meses de fevereiro. Nesta data – ao contrário do ocorrido quatro meses antes – deve-se voltar a atrasar os relógios oficiais em uma hora. Para quem vive no Brasil, o conceito do horário de verão não é exatamente complicado. Nada mais é do que um situação definida na qual altera-se o marcação oficial das horas para certa finalidade pública.

A dúvida costuma ser, no entanto, qual é essa finalidade pública e os motivos de sua aplicação e retorno a o normal. Entenda melhor o que é o horário de verão, suas utilidades e características:

Qual a finalidade do horário de verão?

A principal proposta do horário de verão é reduzir o consumo e a demanda energética em alguns horários do dia que sofrem picos significativos de consumo. O final da tarde é o horário de maior consumo energético, pois é quando a maior parte da população chega em casa e começa a realizar algumas tarefas que, somadas, oferecem um enorme consumo: uso de chuveiro, ar condicionado, eletrônicos e etc.

A ideia é que o horário de verão permita um maior aproveitamento da luz natural durante este horário de tipo nos meses em que ainda se pode utilizar a iluminação do sol até horas mais avançadas do dia. Isso faz com que, apesar de as pessoas ainda estarem chegando em casa, seja menos necessário o uso de iluminação – especialmente em locais públicos e comerciais, onde essa demanda é muito mais significativa.

Desta forma, distribui-se melhor a exigência por potência energética, de modo que o pico de consumo doméstico não ocorra no mesmo momento em que é necessário recorrer à iluminação geral da rede elétrica.

Porque entre outubro e fevereiro?

Se a função do horário de verão é aproveitar ao máximo a iluminação solar, faz sentido que isso seja feito nos momentos em que o sol está presente por mais tempo para os estados em que há a mudança. Isso ocorre justamente no verão, o que justifica que a transição ocorra entra os meses de outubro e fevereiro.

A claridade, no período, é mais longa do que durante o resto do ano, tornando a estratégia muito mais eficiente e coerente. É por este motivo que o horário de verão sempre é utilizado nos mesmos períodos do ano.

Porque nem todos os estados aderem ao horário de verão?

Deve-se considerar que o horário de verão é sempre mais eficiente à medida que os locais afastam-se da linha do equador. Nela, as variações de luminosidade ao longo do ano são muito pequenas, não fazendo sentido realizar a troca oficial do horário para a não obtenção de efeitos significativos de economia.

Quando afastados desta linha, no entanto, os efeitos são notáveis. Tome por exemplo os países nórdicos, em que certos períodos do ano são completamente escuros, enquanto outros são sempre iluminados, sem que ocorra a noite. Embora no Brasil não haja uma situação tão extrema, os estados mais ao Sul apresentam grande variabilidade de luminosidade, enquanto aqueles mais ao norte não aderem a estratégia, por simplesmente não surtir efeito em suas demanda energética.

O horário de verão só existe no Brasil?

Não, o horário de verão passou a ser utilizado pela Alemanha na Primeira Guerra Mundial, para reduzir os gastos em carvão. A primeira menção à estratégia é atribuída a Benjamin Franklin, ainda em 1784.

No Brasil, a mudança foi adotada pela primeira vez em 1930, no período Vargas. O horário de verão existe desde então por aqui, com uma interrupção entre os anos de 1967 e 1980. Atualmente, é regulamentado em lei que vigora desde o ano de 2008.


Compartilhe!

Comentar

Clique aqui para postar um comentário