Início » Física » Matéria: a natureza de tudo aquilo que nos cerca

Matéria: a natureza de tudo aquilo que nos cerca

Compartilhe!

Durante 24 horas do nosso dia, cercados por matéria, corpos e objetos. Compreender o real significado disso em termos científicos, no entanto, não é tão fácil quanto pode parecer.

Afinal o que é matéria? E ainda por cima, como a física explica o que são os corpos? Qual é o ponto de vista deles a partir disso? E em relação aos objetos também. Neste artigo, nós vamos falar um pouco sobre a matéria e como a ciência explica tudo isso que nós vemos e tocamos a nossa volta. Entenda os principais aspectos sobre o assunto, e suas influências em nossa vida:

A matéria

O Universo que é conhecido por nós seres humanos se manifesta basicamente através de duas formas: matéria ou energia. Esses dois exemplos, embora sejam distintos, fazem parte da mesma realidade que nós. Cientificamente, a definição de matéria é até que bem simples! Basicamente, é tudo o que tem massa e ocupa algum espaço. Uma explicação ainda mais simples, matéria é tudo aquilo que tem um corpo físico, é algo que você pode entrar em contato.

Água, terra, ar, borracha, porcelana e papel são alguns tipos de matérias comuns encontrados no nosso dia a dia. Ao contrário do que a maioria das pessoas acham por aí, a matéria não é manifestada apenas no estado sólido, ela também pode ser encontrada na forma líquida e gasosa.

Natureza e concentração

A matéria pode ser observada duas óticas: a quantidade e a qualidade. Quando a observamos prestando atenção na quantidade, ela é denominada substância. Toda substância tem uma composição que a forma e um conjunto de propriedades. O cloreto de sódio, por exemplo, é composto por 39,34% de sódio e 60,66% de cloro. A junção dessas duas substâncias são o que determina a composição dessa matéria.

Outro exemplo que podemos utilizar é a água, que é composta por duas moléculas de hidrogénio e uma molécula de oxigênio. Se você juntas essa composição, você terá água.

Uma substância pode facilmente ser trabalhada e modelada de um modo que ele se encaixe na necessidade humana. Por exemplo: você pode pegar um tronco de madeira, e dele fazer uma cadeira para poder se sentar, do ouro é possível retirar uma variedade de peças e utensílios, você pode também utilizar o ferro para poder fazer um portão para a sua casa, ou a lataria de um carro.

Mutabilidade da matéria

A matéria, apesar de não parecer a princípio, é mutável, ou seja, ela está constantemente passando por mutações, e essas mutações podem alterar ou não o seu estado atual. Dentro desse contexto encontram-se os fenômenos físicos e químicos.

É importante frisar que fenômeno é o nome dado para qualquer mutação da matéria, apenas o tipo de fenômeno que recebe um nome específico. Quando o fenômeno provoca a modificação natural destes materiais, alterando a sua composição, ele é chamado pelos especialistas de fenômeno químico. E quando o fenômeno não é capaz de alterar sua composição, ele é chamado de fenômeno físico.

Resumindo para facilitar a compreensão:

Fenômeno químico: é a mutação da matéria que provoca algum tipo de alteração na sua composição. Exemplos: combustão, ferrugem, fotossíntese, etc.

Fenômeno físico: é a mutação da matéria que não provoca alteração na sua composição. Exemplos: mudanças de estado físico (fusão, evaporação, etc), propagação de calor, etc.

Como nós estamos nos referindo também a fenômenos químicos, uma que pode vir a sua cabeça é a seguinte: o que é química? Uma resposta simples para essa pergunta, mas que é objetivo seria: química é a ciência que estuda os fenômenos químicos. Ou seja, ela também pode ser catalogada como a ciência que estuda as transformações.


Compartilhe!

Comentar

Clique aqui para postar um comentário