Início » História » Mitologia Grega: elementos básicos

Mitologia Grega: elementos básicos

Compartilhe!

A mitologia grega é absolutamente importante para a formação do mundo ocidental em diversos aspectos. É dela, por exemplo, que surgem as principais histórias que influenciariam a cultura romana, que seria absorvida em grande parte pelo cristianismo que, de certa forma, foi o responsável por um determinado nível de unificação cultural no mundo ocidental.

Dessa maneira, é correto dizer que a mitologia grega é parte importante de toda a base de crenças e ícones utilizados nos dias atuais. Mais do que isso, é nesta matéria em que se formam diversos arquétipos desenvolvidos ao longo da história.

Se os mesopotâmicos foram os responsáveis originais pelo desenvolvimento de uma jornada heroica, é na mitologia grega que o desenvolvimento desta estrutura torna-se consolida-se para a posteridade. É por isso que o assunto é tão importante nos dias atuais, e provas e concursos cobram diversas questões relacionadas à mitologia grega.

greece-1364446_960_720

Confira um resumo de como ela foi organizada, e como é o funcionamento básico das informações a respeito da mitologia grega:

Deuses Gregos

Na base da mitologia grega (não de forma cronológica, mas no centro da história contada), estão os deuses. Os deuses gregos dividiam seu lugar no Monte Olimpo, de onde observavam a governavam a humanidade.

Embora haja um certo papel de protagonismo de Zeus, razoavelmente equiparado a Poseidon e Hades, não é possível dizer que um deus grego era mais importante que outro, estabelecendo-se um politeísmo verdadeiro. No panteão principal, havia doze deuses com maior controle e poder.

Os Titãs

Os titãs são espécies mais ancestrais de divindade. Os titãs foram pais e mães dos deuses gregos, e perderam seu poder em batalha com os filhos. A ancestralidade dos titãs pode ser observada em sua relação mais elementar em relação à natureza.

Exemplos disso podem ser observados pelos nomes: Gaia, por exemplo, está diretamente relacionada à ideia de terra ou de “mãe-natureza”. Cronos, por outro lado, é a representação divina do tempo. Urano, pai de Cronos e avô de Zeus, era o titã grego do céu.

Criaturas Míticas

Além de deuses e titãs, diversas outras categorias de criaturas existem na mitologia grega. Os motivos são muitos. Alguns são filhos de deuses ou titãs com monstros, outros simplesmente existem sem maiores explicações.

As criaturas míticas podem ter caráter bondoso ou maligno, e sua condição monstruosa ou não não é necessariamente definidora do tipo de caráter existente. Muitas criaturas míticas desenvolveram, ao longo do tempo, suas próprias linhagens e características específicas.

Heróis e vilões

Um dos tipo de literatura mais populares na Grécia antiga era a literatura de heróis. As histórias contavam mitos de pessoas – geralmente semi-deuses (filhos de um deus ou deusa com um humano) – que recebiam uma missão para completar, consagrando-se para a história.

Para isso, diferentes missões eram completadas ou exigidas, como no caso de Hércules e Perseu. Vilão é o nome mitológico dado ao antagonista de cada uma destas jornadas.

Constelações e astrologia

Outra contribuição significativa da mitologia grega para os dias atuais é a nomenclatura de diversas constelações. Com observação avançada do céu, os gregos foram capazes de determinar padrões e a criações mitológica das histórias para o que hoje são chamadas de constelações.

Isso inclui até mesmo as doze constelações do zodíacos, além de várias outras que não fazem parte deste grupo, mas sempre foram essenciais para a localização terrestre, ao longo da história.


Compartilhe!

Comentar

Clique aqui para postar um comentário