Início » Folclore Brasileiro » Negrinho do Pastoreio: conheça a história

Negrinho do Pastoreio: conheça a história

Compartilhe!

A lenda do Negrinho do Pastoreio é parte do folclore do sul do país, e uma história referenciada e homenageada em livros, músicas e obras de artes. Trata-se da história de um jovem escravo com um patrão especialmente cruel. Segundo a lenda, o Negrinho do Pastoreio recebeu a tarefa de pastorear cavalos da fazenda, e acabou perdendo um dos animais no processo.

Como punição, o jovem foi violentamente agredido e acabou morrendo na agonia dolorosa e lenta. Segundo conta a história popular, seu espírito apareceu posteriormente sem as marcas de espancamento, e ascendeu aos céus para ficar ao lado da Virgem Maria.

O mais interessante nesta história é o fato de provavelmente ter sua origem contada entre os escravos da época, como uma forma de alento em relação à sua própria agonia. Além disso, a história já demonstra um sincretismo entre as culturas trazidas pelos escravos e a religiosidade cristã predominante por aqui.

Fala-se que hoje o Negrinho do Pastoreio auxilia as almas em agonia, ajuda a encontrar objetos perdidos e protege aqueles que sofrem. Saiba mais sobre a lenda e suas origens:

A história do Negrinho do Pastoreio

Como mencionado de forma resumida anteriormente, o Negrinho do Pastoreio era um jovem escravo. Seus capazes e seu patrão eram cruéis e costumavam maltratar o menino. Em uma de suas tarefas de pastoreamento, o rapaz perdeu um dos cavalos dos quais cuidava.

Tratava-se de um cavalo baio muito apreciado pelo patrão, o que o deixou enfurecido com o rapaz. Em algumas versões, fala-se que o menino chegou a encontrar o cavalo, mas que seu patrão não o perdoou mesmo assim. Em outras, ele nem recebe a chance de procurar o cavalo, pois é punido imediatamente.

Para castigar o negrinho, ordenou que recebesse muitas chibatadas ao longo de toda uma noite. Além disso, para aumentar sua dor, o negrinho é jogado em um formigueiro, com feridas expostas, para que fosse picado até a morte.

Na manhã seguinte, no entanto, o fazendeiro não encontra o cadáver do rapaz. Em vez disso, o vê sem nenhum ferimento no corpo, montado sobre o cavalo Baio que havia perdido, com a Virgem Maria ao seu lado para protegê-lo.

Crença e tradição

No sul do país, enxerga-se na figura do Negrinho do Pastoreio uma espécie de “santo não oficial”, como um milagre. Em função de sua imagem relacionada à cultura católica, ele é admirado como um santo, e muitas pessoas rezam por ele.

Fala-se que as boas pessoas, ao perderem um objeto, devem acender uma vela ao lado de um formigueiro e rezar para o Negrinho do Pastoreio. Com muita fé, pode-se pedir para encontrar o objeto, e ele irá ajudar a encontrar o objeto.

Existe versão correta?

Quando falamos de uma lenda do folclore, é muito comum que cada região apresente uma versão um pouco diferente sobre aquela história. O folclore é um conto do povo, que reflete seus medos, crenças e interpretações do mundo – por isso, é comum que haja diversas versões sobre uma mesma história.

Todas as versões sobre uma lenda estão corretas, pois refletem aspectos específicos do local onde foram contadas. Essa variedade conta a história de diferentes povos, e deve ser tão celebrada quando a lenda original em si. Valorize as diferentes versões do folclore!


Compartilhe!

Comentar

Clique aqui para postar um comentário