Início » Geografia » Oceano Pacífico: características e particularidades

Oceano Pacífico: características e particularidades

Compartilhe!

Ao estudar a geografia Mundial, você não pode esquecer de revisar o Oceano Pacífico. Essa imensa massa de água tem importância fundamental na regulação climática mundial, bem como compõe uma importante região delimitada por grandes potências mundiais. Fato que leva a muitos esquecerem sua importância se dá pela representação tradicional do Mapa Mundi, o que deixa o Oceano Pacífico de certa forma deslocado.

Porém, já em 1520 ele estava sendo explorado pelo navegador português Fernão de Magalhães. Esse contexto foi o que originou o nome do Oceano Pacífico: uma comparação com as tempestuosas e difíceis águas do Oceano Atlântico. Sendo assim, vamos analisar um pouco mais dos aspectos geográficos fundamentais desse oceano.

Dimensões

Como dissemos, a representação do Oceano Pacífico no tradicional Mapa Mundi esconde a grandiosidade dessa massa de água. Assim, primeiramente destacamos que ele é o maior oceano do planeta Terra: cobrindo uma superfície de 180 milhões de quilômetros quadrados. Essa porção corresponde à praticamente 1/3 da superfície terrestre e quase metade do volume de água de todos oceanos.

Outras dimensão que impressiona é a profundidade. A profundidade média do Oceano Pacífico é de 4280 metros, e lá estão as maiores fossas submarinas. Dentre elas, destaca-se a fosse das Marianas, com a incrível profundidade de 11,5 quilômetros. Em questão de continentes, este oceano banha as Américas, a Ásia, a Oceania e o continente antártico.

Localização e ilhas

O Oceano Pacífico localiza-se a oeste do continente americano e a leste da Ásia e Oceania. A localização geográfica do oceano se destaca pela grande quantidade de encontro de placas tectônicas. Esse fato acarreta a existência de diversos terremotos e vulcões na região em questão. Destaca-se o chamado Círculo de Fogo do Pacífico, região especialmente afetada por esses fenômenos naturais.

Em relação às ilhas, existem cerca de 25000 delas em toda a extensão do Oceano Pacífico. Algumas das mais famosas são o Japão, a Ilha de Páscoa, a Indonésia e as Filipinas. Os nomes micronésia e polinésia não constituem ilhas em si, mas sim conjuntos de ilhas localizadas no Oceano Pacífico e, mais especificamente, na Oceania.

Além disso, a localização do Oceano Pacífico divide duas superpotências mundiais: Japão e Estados Unidos. Essa conexão entre Ásia e América fomenta o uso do oceano como grande canal de transporte, seja de mercadorias, seja de pessoas por meio do turismo.

Fenômenos atmosféricos

Além de sua importância já descrita, o Oceano Pacífico é importante fator de análise quando o assunto são fenômenos atmosféricos. Nesse sentido, estamos falando sobretudo dos efeitos do El Niño e La Niña. Ambos fenômenos causam muita repercussão nos meios científicos, pois ainda não foi possível precisar sua causa e frequência exatas. Porém, o Oceano Pacífico, através de mudanças climáticas, indica se os fenômenos em questão estão ou não acontecendo.

Em síntese, com a ocorrência do El Niño, as águas superficiais do Pacífico sofrem um aumento de temperatura. Por outo lado, durante o La Niña, as águas superficiais do mesmo oceano sofrem o efeito inverso, ou seja, elas esfriam. Essas alterações repercutem efeitos climáticos em escala global, e cada continente e lugar do globo reage a essas alterações de forma diferente ─ sendo que alguns não passam por alteração alguma.

A Ilha de Páscoa

Fato curioso sobre o Oceano Pacífico se dá pela existência da Ilha de Páscoa. Essa ilha é considerada o lugar mais isolado do planeta, situada a 3700 quilômetros do Chile, 4000 quilômetros do Taiti e seu vizinho mais próximo está a 1900 quilômetros. Nela, há as famosas estátuas gigantes de pedra, 887 no total, que foram alvo de diversos mistérios para pesquisadores e historiadores.


Compartilhe!

Comentar

Clique aqui para postar um comentário