Início » Física » Pulso Eletromagnético: como se comporta?

Pulso Eletromagnético: como se comporta?

Compartilhe!

O pulso eletromagnético ou PEM é um pulso que possui alta energia que se propaga pelo espaço e gera assim um campo elétrico descompassado com o campo magnético, cuja sua frente de onda pode danificar os componentes eletrônicos de estado sólido inseridos no campo. Os pulsos magnéticos são reconhecidos por produzirem pulsos naturais, como no caso de explosões solares e estelares, ou pode ser feito por ação antrópica. Nestes casos, os pulsos produzidos são incontroláveis, igual ao caso de armas nucleares. Algumas armas tem um pulso muito reduzido com o objetivo de destruir aparelhos menores, como computadores e meios de comunicação.

Lei de Faraday e de Lorenz

Antes de se entender mesmo como e o que é o pulso elétrico, é interessante saber as leis de Faraday e a lei de Lorentz para que o entendimento seja mais facilitado. Estas duas leis são fundamentais no campo do eletromagnetismo, onde as correntes elétricas geram campos magnéticos, podendo assim variar e uma propriedade interessante dos campos é a indução que estes podem fazer em condutores próximos. Com isso, pode-se concluir, que independente do campo magnético, tendo de ser adequado ao caso, pode influenciar, dependendo da distância entre o campo magnético e o aparelho, pode gerar o fluxo de uma corrente elétrica alterada para que este não funcione corretamente e danifique-o.

O que é pulso eletromagnético

Conhecido também como PEM, como dito anteriormente, é um fenômeno físico que pode ser decorrente de fenômenos naturais, como nas explosões nucleares, criadas pelo homem ou até mesmo somente a passagem de grandes correntes elétricas. De forma mais técnica, chama-se essas formas de pulso com alta energia e de largo espectro que ao propagar-se forma um campo magnético e, consequentemente, pode danificar os componentes eletrônicos que estejam na área do campo.

Aplicações

Os pulsos eletromagnéticos podem ser usados para diversos fins, como por exemplo, os engenheiros alemães criaram um método de perfuração de aço e outros metais com o uso de campos magnéticos, sendo aplicado diretamente na indústria automobilística e em estampas feitas no metal. Os pulsos eletromagnéticos se mostram mais eficazes que os lasers, sendo sete vezes melhor e ao cortar não deixa nenhum erro ou rebarba no local do corte.

Além dessa aplicação, podem ser usados para emissão de radiação em computadores e explosões termonucleares na atmosfera, tendo conhecimento dos efeitos que esta tecnologia pode causar principalmente para fins bélicos. Nesse momento, os pulsos são usados para fazer a explosão de uma bomba a uma distância centesimal da atmosfera terrestre e seus efeitos variam de acordo com a altitude da detonação, com o rendimento de energia que foi dispersa no meio e também na interação total do campo eletromagnético com o planeta Terra.

Como gerar um pulso eletromagnético?

Os pulsos podem ser gerados de inúmeras formas diferentes, no entanto existe uma pode ser feita até mesmo em casa. Para que se faça este gerador de pulso eletromagnético, pegue uma bobina de ignição e um gerador de energia com pelo menos uma corrente de quatro amperes. Ligue esta bobina a um interruptor semelhante aos botões de campainha e um condensador de 100 nanofarads tem de estar paralelo com o interruptor. Dessa maneira é criado assim um gerador de pulso, colocando por final uma antes no terminal de alta tensão com a finalidade de conseguir canalizar toda a energia e também transmitir o pulso eletromagnético. Quando for pressionar o botão, a energia irá circular pela bobina primária, e quando soltar-se, irá coexistir um pulso na bobina secundária. Só relembrando, que ao fazer este gerador de pulso, toma bastante cuidado para não ser eletrocutado.


Compartilhe!

Comentar

Clique aqui para postar um comentário