Início » Português » Literatura » Raul Bopp: vida e obra

Raul Bopp: vida e obra

Compartilhe!

Estudar o Modernismo e não conhecer Raul Bopp é um equívoco gradíssimo cometido por diversos alunos. O nome do autor, embora não seja o mais lembrado no panorama literário nacional, é de suma importância ao se analisar as principais obras do movimento modernista. Assim, vale a pena conferir um pouco mais sobre a história desse ícone da literatura.

Primeiramente, necessita-se conhecer a biografia e história de vida de Raul Bopp, para que situemos o autor e sua produção no tempo histórico. Na sequência, temos de analisar o contexto literário vivido, e em específico as correntes em que o autor teve maior participação e importância. Por fim, podemos destacar um pouco de seu estilo, presente em algumas obras que você não pode esquecer na hora das provas.

Vida e biografia

Raul Bopp foi um escritor e diplomata brasileiro natural do estado do Rio Grande do Sul, mais especificamente da Vila Pinhal (atual Itaara), na região de Santa Maria. O autor nasce em 1898 e sua primeira atuação no mundo literário se dá em 1917, quando Bopp funda dois seminários na cidade de Tupanciretã, nomeados “O lutador” e “Mignon”.

Sua formação acadêmica foi em Direito, mas ele cursou em diversas cidades, devido ao seu gosto por viagens, o que o levou a morar em diferentes lugares Brasil a fora. Mas Raul Bopp não se ateve a carreira de escritor: ele também foi jornalista e diplomata ─ profissão a qual o permitiu morar em diferente países durante a vida. Em 1977 foi agraciado com o prêmio Machado de Assis, e em 1984, aos 85 anos de idade, o autor veio a falecer, na cidade do Rio de Janeiro.

O contexto literário em que participou

Raul Bopp está entre as ilustres mentes que participaram da Semana de Arte Moderna, na cidade de São Paulo, em 1922. Logo, sua produção literária é classificada no contexto da primeira fase do modernismo brasileiro. Vale destacar, que sua participação na Semana de Arte Moderna foi acompanhada por seus amigos Tarsila do Amaral e Oswald de Andrade.

Isso quer dizer que as obras publicadas por Raul Bopp seguem muitos dos preceitos tão caros aos escritores da primeira geração modernista. Mais tarde em sua vida, especificamente no ano de 1966, o autor publica um livro em prosa chamado “Movimentos modernistas no Brasil”, o qual foi bem recebido pela crítica, e que contava a história do movimento, sobretudo com relação a sua participação no movimento antropofágico.

A corrente antropofágica

Dentro do contexto modernista, o movimento antropofágico teve grande importância, e sua proposta era a formação de uma identidade cultural brasileira voltada para a assimilação de aspectos importantes de culturas estrangeiras. O “antropofagismo” significava digerir a cultura estrangeira para a formação da nossa.

Nesse sentido, Raul Bopp teve suma importância pela publicação de sua obra épica “Cobra Norato”, que também foi um resultado de sua viagem a região amazônica na década de 1920. A obra tem caráter mitológico, e traz elementos das selvas amazônicas, como o folclore da região e elementos da fala, sobretudo em relação a cultura indígena.

Seu estilo literário

Como já citamos, a proximidade de Raul Bopp com Oswald de Andrade muito influenciou sua escrita. Por isso, vemos em suas obras clara aproximação às vanguardas europeias ─ como o cubismo, em Cobra Norato ─ e também dos ideários da primeira geração modernista. Outras características de sua literatura é um certo tom mais satírico, a oralidade nos diálogos e algumas aliterações.

Com relação à sua temática, é interessante ressaltar a obra “Urucungo”, no qual Raul Bopp trata da cultura de matriz africana. Seu recorte na obra traz cenários sociais, e assim o autor traça uma linha histórica da condição social dos negros, passando pelo navio negreiro e chegando nas favelas e morros de sua época.


Compartilhe!

Comentar

Clique aqui para postar um comentário