Início » Biologia » Reinos dos seres vivos: quais são?

Reinos dos seres vivos: quais são?

Compartilhe!

O que entendemos por reinos dos seres vivos não é exatamente uma classificação biológica a rigor. Na prática, trata-se de uma reunião de cinco reinos compreendidos como aqueles nos quais seus representantes preenchem certos requisitos que a biologia considera necessários para que sejam considerados “vivos”.

A atual definição dos reinos dos seres vivos compreende um total de cinco reinos, de acordo com a classificação de Whittaker, aceita desde 1969. Tratam-se dos reinos Animalia, Plantae, Fungi, Protista e Monera. Além disso, discute-se de forma muito intensa a classificação específica dos vírus. Oficialmente, no entanto, sua inclusão não foi realizada como um reino adicional ou parte dos reinos dos seres vivos já existentes.

Cada um destes reinos apresenta características muito próprias para que sejam compreendidos como parte de uma mesma macro-classificação, que torna-se cada vez mais específica até o ponto em que sejam separados por espécie. Ser um ser vivo, portanto, é a classificação mais ampla possível da existência de organismos que vivem.

Entenda quais são os reinos dos seres vivos, e quais são suas principais características:

Reino Monera

O Reino Monera é o que se pode considerar como o menos complexo entre os reinos dos seres vivos. Seus integrante são exclusivamente seres unicelulares (formados por uma única célula), de característica procariótica (sem núcleo celular definido).

Eles podem ser divididos entre os indivíduos autotróficos ou heterotróficos, que são – respectivamente – aqueles capazes de produzir seu próprio alimento, ou aqueles que necessitam obter os nutrientes de outros organismos vivos. Bactérias e cianobactérias são os exemplos de indivíduos do Reino Monera.

Reino Protista

Os indivíduos do Reino Protista são um pouco mais complexos do que aqueles que fazem parte do Reino Monera. Eles podem ser unicelulares ou multicelulares, e também podem distinguir-se entre autotróficos e heterotróficos. Sua grande diferença em relação à complexidade da estrutura orgânica, no entanto, está no fato de sempre terem células eucarióticas.

Isso significa que, ao contrário do caso anterior, todas as células destes organismos possuem núcleo definido. Há uma gama bastante extensa de organismos neste reino, sendo as algas e os protozoários os exemplos mais apresentados, na didática escolar.

Reino Fungi

O Reino Fungi é o primeiro reino, em nível de complexidade, que apresenta todos os seus representantes como seres heterotróficos. Eles podem ser unicelulares ou multicelulares, mas todos apresentam células eucarióticas (com núcleo definido).

Fato de serem necessariamente heterotróficos faz com que todos os indivíduos do Reino Fungi dependam de fontes externas de nutrientes para alimentar-se, o que os torna únicos em relação aos reinos dos seres vivos anteriores nesta “escala de complexidade”. Exemplos destes indivíduos são as leveduras, os cogumelos e os bolores.

Reino Plantae

O Reino Plantar é formado por organismos que sempre são multicelulares, eucarióticos e, via de regra, autotróficos. Isso significa que eles são capazes de produzir seu próprio alimento, sem a necessidade de consumo de outros seres vivos em nenhuma medida. Esse processo de alimentação autotrófica é realizado através da fotossíntese.

De forma mais informal, os indivíduos do Reino Plantae são todas as plantas do planeta Terra, o que torna sua identificação bastante fácil. É importante não confundir, no entanto, as plantas com as algas – essas últimas fazem parte do reino protista, como já mencionado anteriormente.

Reino Animalia

O Reino Animalia, como o próprio nome indica, é aquele que engloba todos os animais, incluindo a espécie humana. Todos são indivíduos são multicelulares de células eucarióticas, e todos eles são heterotróficos – o que os diferencia das plantas.

Entre os reinos dos seres vivos, é possível dizer que o Animalia é o mais complexo em suas estruturas, e o mais sensível no que diz respeito à dependência em relação a outros tipos de organismos na Terra.

E os vírus?

Os vírus ainda são uma polêmica em relação às classificações da biologia. Alguns estudiosos os consideram seres vivos, enquanto outros rejeitam a hipótese. Isso porque os seres vivos, de acordo com a atual classificação, possuem células – algo que falta ao vírus, a menos que já esteja parasitários em um outros organismo. Alguns deles, no entanto, reproduzem-se, o que é um requisito para a classificação de ser vivo.

Essas características fazem com que eles sempre sejam tratados de forma distinta, sem um consenso pleno em relação ao assunto.


Compartilhe!

Comentar

Clique aqui para postar um comentário