Início » História » Revolução russa

Revolução russa

Compartilhe!

É bem provável que você já tenha ouvido falar da Revolução Russa, mas talvez não saiba de fato do que se trata. Se for o caso não tem problema, porque é sempre hora de aprender.

É interessante conhecer a história que levou a constituição da União Soviética porque essa potência teve grande importância em vários momentos da história da humanidade, como a Segunda Guerra Mundial e a Guerra Fria. Entender como ela passou a existir pode nos permitir entender o tamanho da sua força e as razões para o seu declínio.

Assim sendo, a seguir nós vamos falar mais plenamente sobre a Revolução Russa, o que levou ao seu desdobramento e como ela se conflagrou no território do maior país do mundo! Vem conferir as nossas informações e se surpreender com cada uma delas!

Entenda as bases que levaram a Revolução Russa

A Rússia pré-século XX estava muito atrasada, e o atraso em questão se alastrava por todos os setores da sociedade. A questão econômica, no entanto, era a que mais pesava, e a nação dependia quase que integralmente da agricultura para sobreviver, não sendo nada industrializada e ainda sendo surprimida fortemente por uma nobreza bastante requerente, encabeçada pelo czar Nicolau II!

As tensões foram crescendo porque no campo havia muita pobreza e pouca evolução dos métodos de plantio e colheita, e os poucos avanços promovidos pelo pai de Nicolau II não fizeram com que a população realmente se visse em uma melhor situação.

Vale dizer que o regime do czar reprimia toda a oposição existente, e a polícia política russa, chamada de Ochrana, era responsável pelo controle do ensino nas escolas, nas universidades e também nos tribunais, passando obviamente pela imprensa!

Não era raro que presos políticos fossem exilados na Sibéria, que é até hoje a região mais isolada e mais fria da Rússia. O domínio dos latifundiários e capitalistas sobre os trabalhadores da terra e da cidade era total, e aproveitando o que parecia ser um bom momento Nicolau II começou a industrializar o país contando com a ajuda do capital estrangeiro.

Ainda assim, operários e burgueses não se viam ganhando nada com os poucos avanços que apareciam, e a fome, o desemprego e a precarização dos serviços oferecidos à sociedade como um todo era enorme, só sendo beneficiados os banqueiros, os empresários e a realeza.

Com isso a oposição ao governo não parava de crescer, e líderes de partidos dados como clandestinos começaram a se unir, tentando se organizar para ganhar o poder. Haviam duas tendências que estavam mais em voga. Eram elas:

  • A dos bolcheviques, que tinham Lenin como líder e que defendiam a luta armada, até a chegada do povo ao poder;
  • A dos mencheviques, que tinham Plekhanov como líder e que defendiam a chegada ao poder do povo por meios pacíficos, como o uso das eleições;

A Revolução Russa em seu curso

Todo esse caldeirão começou a esquentar, e cada vez haviam mais manifestações por todo o país. Uma delas acabou com 1000 mortos em frente a um dos símbolos da monarquia russa, o que acabou sendo conhecido como Domingo Sangrento. As pressões obviamente aumentaram e o czar decidiu convocar releições parlamentares, acreditando que assim conteria os ânimos!

A ideia é que assim o país se tornasse uma monarquia constitucional, com o czar tendo a maior parte do poder em suas mãos, mas permitindo que o parlamento participasse de algumas decisões. Isso fez com que os revolucionários se contessem por mais algum tempo, mas isso não durou para sempre, como bem sabemos…

Quando a Rússia entrou na Primeira Guerra Mundial como parte da Tríplice Entente teve que encarar perdas de vidas e de recursos de forma arrasadora. A crise que já era forte se tornou ainda mais profunda. A sociedade se viu em colapso, o que abriu espaço para que a revolução estourasse.

Vários movimentos grevistas se iniciaram nas cidades, e foram sendo apoiados por cada vez mais classes sociais dentro da nação russa. Uma vez que os militares aderiram a revolução foi inevitável que o czar não acabasse cedendo, e teve que abdicar do trono e dos benefícios da monarquia em meados de 1917!

Conheça as consequências da Revolução Russa

Uma vez que o czar foi deposto se formou um Governo Provisório, que tinha a chefia de Kerensky. Foi um momento de anistia a presos e exilados políticos, e do crescimento do lema “Paz, terra e pão”, encabeçado por líderes conhecidos como Trotsky e Lenin!

Foi em 6 de Novembro que a massa operária e de camponeses tomou o poder de uma vez por todas, acabando com o Governo Provisório e contando com a redistribuição de terras, a estatização de bancos, de estradas e de indústrias que seriam a partir de agora do povo e de seus comandantes, que deveriam viver para lhe servir.

Não demorou para que a Rússia então se retirasse da Primeira Guerra, perdendo com isso uma série de territórios que correspondiam a Ucrânia, Bielorrússia, Polônia, Finlândia e Países Bálticos, além de partes do Império Otomano e da Geórgia!

Não demorou para que a tomada do poder causasse uma guerra. Exército Vermelho e Branco se degladiaram durante quatro anos pela manutenção da revolução, e isso paralisou fortemente a economia.

Foi a partir do seu fim que políticas foram desenvolvidas para trabalhar o crescimento da indústria e da agricultura russa, e a partir de 1922 o país passou a se chamar União das Repúblicas Socialistas Soviéticas!

Depois da morte de Lenin, em 1924, Stalin e Trotski disputaram o poder ao máximo, sendo Stalin o vencedor desse embate. O comandante acabou levando a revolução para um nível ditatorial, que deturpou vários dos valores pretendidos pela URSS e acabou levando ao seu declínio, já na década de 90. Ainda assim, vitórias vieram de sua administração, e uma das mais destacas foi a na Segunda Guerra Mundial!

Como você pode ver a Revolução Russa é cheia de mistérios e de detalhes importantes, que precisam ser desbravados pelos que se interessam pelo tema. Esperamos que nosso conteúdo tenha te ajudado!


Compartilhe!

Comentar

Clique aqui para postar um comentário