Início » Português » Gramática » Ortografia » Se não ou Senão: qual o certo?

Se não ou Senão: qual o certo?

Compartilhe!

As dúvidas de utilização entre se não ou senão são muito comuns da língua portuguesa. Isso ocorre em função da semelhança tanto fonética quanto gráfica das duas expressões. Seus significados são distintos, mas muitos vezes não somos treinados para compreender qual é essa distinção, ou refletir sobre o que cada um quer dizer.

A boa notícia é que, com um pouco de atenção, não é difícil compreender qual o uso correto de cada uma das expressões. Por isso, separamos um guia para explicar quando usar se não ou senão, assim como outras questões relacionadas a esta dupla em que pode assustar muitos estudantes antes de uma redação. Confira:

Alguma das opções está errada?

Em primeiro lugar, é necessário destacar que se não ou senão existem, ambos, na língua portuguesa. Isso quer dizer que, dentro do contexto de utilização de cada um deles, ambos são corretos.

O problema passa a existir na questão contextual. O fato de ambos existirem não significa que sejam substitutos um do outro. Cada um possui um significa, e deve ser utilizado de acordo com tal, na língua portuguesa. A palavra senão indica consequência negativa ou exceção, na linguagem. A expressão “se não”, por sua vez, é uma condicional negativa, com significado semelhante à expressão “caso não”.

Quando utilizar o “senão”?

A expressão “senão” é uma palavra bastante rica, pois pode encaixar-se em diferentes classes gramaticais, e oferecer significados distintos. É formada através da junção de “se + não”, e assume a função de preposição, de conjunção, ou de substantivo masculino.

Quando apresentada como preposição, “senão” possui a função de limitação, exceção. É sinônimo de “exceto”, “fora, “salvo”. É a função apresentada no exemplo: “Nas aulas, não fazia nada senão dormir.”.

Quando assume a natureza de conjunção, “senão” indica uma consequência negativa originada a partir de uma oração anterior. É sinônimo de “caso contrário” e “de outro modo”, como pode ser observado em: “Coma tudo, senão não ganhará sorvete!”.

Quando assume a natureza de um substantivo masculino, por sua vez, indica um defeito, uma falha ou uma imperfeição. É o que se pode observar em situações como a frase “O carro possui apenas um senão: um pequeno arranhão na porta do motorista.”.

Quando utilizar o “se não”?

A expressão “se não”, separada, é uma sequência formada por uma conjunção (se) e por um advérbio (não). É utilizada como uma conjunção de condição ou de integração. Sua função como condicional é uma negativa, que pode ser compreendida como um sinônimo de “caso não” ou “quando não”.

É o que pode ser observado nos exemplos:

– Se não tiver bolo pronto na padaria, traga farinha e ovos.

– Tente ligar hoje. Se não, ligue amanhã pela manhã.

– Se não o conhecesse há tanto tempo, diria que é o maior suspeito neste caso.

Momentos de utilização mista

Em alguns casos bastante específicos, é possível que se não ou senão possam ser utilizados dentro de uma mesmo contexto. Tratam-se das situações que utilizam a conjunção “senão” com um verbo omisso (substituindo-o). Isso porque, nestes casos, específicos, o “senão” assume o significa de “caso não”, que é o mesmo de “se não”.

Pode utilizar as duas opções:

– Envie o projeto até às 18, senão não terminaremos o serviço.

– Envie o projeto até às 18, se não, não terminaremos o serviço.


Compartilhe!

Comentar

Clique aqui para postar um comentário