Início » Biologia » Solo Arenoso: características e biomas

Solo Arenoso: características e biomas

Compartilhe!

Os diferentes tipos de solo, incluindo o solo arenoso que será tratado neste artigo, cobrem a parte sólida da superfície do planeta e, mais do que isso, representam a base onde toda a vida não aquática surge, fornecendo os elementos mais básicos para a formação de uma paisagem e de um bioma.

Um diferente tipo de solo leva a diferentes tipos de vida que pertencem àquele local, assim como diferentes formas de o meio externo influenciar o local. O solo arenoso é uma das formas mais interessantes de se compreender a importância do ambiente terrestre sobe a vida que a cerca. Ele é um dos quatro grupos de solos mais presentes nos ambientes, e geralmente é associado à baixa fertilidade e aridez.

No entanto, essa é uma forma muito simplista de se lidar com as características do solo arenoso. Conheça melhor quais são as características deste tipo de solo que cobre parte relevante da superfície brasileira:

O que é o solo arenoso?

O solo arenoso é leve e bastante granuloso. Em certos ambientes, é chamado simplesmente de “solo leve”. Ele forma boa parte do nordeste brasileiro, além de estar presente em diversas outras regiões do país de forma mais esporádica.

Em geral, considera-se arenoso um solo com cerca de 70% de areia – normalmente complementada por outros materiais, como argila. Isso o torna bastante poroso, além de suscetível à ação das chuvas e lençóis freáticos. Adicionalmente, fala-se que o solo arenoso é bastante exposto a ações erosivas.

Resumo de características do solo arenoso

Se você busca estudar de forma mais prática a respeito do assunto, vale notar algumas de suas principais características:

  • Poroso e permeável: o solo arenoso apresenta essas duas características como uma constante, o que o torna inadequado para ser base de construção civil, por exemplo;
  • Seco e pobre em nutrientes: em geral, este tipo de solo perde sua umidade de forma muito acelerada, além de não conseguir manter bons níveis e nutrientes concentrados em seu material. Nota-se, especialmente, a falta de cálcio em sua composição;
  • Granuloso: o solo arenoso costuma apresentar aparência granulosa, que pode ser intensificada pelos diferentes tamanhos destes grãos. Quando há maior variabilidade da granulosidade, é comum que formem-se poros ainda maiores no solo;
  • PH ácido: a baixa concentração de matéria orgânica favorece no desenvolvimento de um solo que tende à acidez, e não à alcalinidade. Isso torna mais difícil o crescimento de vegetação no solo;
  • Exposto à erosão: outra característica comum deste tipo de solo – especialmente em função de sua porosidade e baixa compactação – é a facilidade de erosão do ambiente externo em relação a ele.

Ambientes de solo arenoso

Em geral, divide-se o solo arenoso em três tipos de biomas:

Escrube

Escrube é o nome dado a um tipo de vegetação arbustiva e, em geral, baixa. As plantas são marcadas pelos falhos e ramos retorcidos e aparência robusta. Em geral, formam pontos concentrados de vegetação em meio a espaços abertos de areia sem vegetação.

Em alguns casos, a concentração de plantas pode gerar espécies de até três metros de altura em meios a diversas outras plantas que as protegem das ações externas do ambiente. Quanto à vida animal, nestas áreas, destacam-se as aves – em parte migratórias, em parte residentes.

Floresta baixa de restinga

As florestas baixas de restinga são significativamente mais volumosas do que a vegetação do escrube. Conta com arbustos e árvores que podem ultrapassar os dez metros de altura. Bromélias e orquídeas são parte comum deste tipo de vegetação, enquanto as trepadeiras tornam-se mais raras, diferentemente dos escrubes.

Geralmente, a floresta baixa de restinga é formada a partir do solo arenoso marinho e seco, que favorece uma formação superficial das raízes no solo. Neste caso, a fauna também é predominantemente marcada por aves – especialmente em caráter migratório.

Floresta alta de restinga

Como o próprio nome sugere, este tipo de vegetação conta com altura média e diâmetro superior à floresta baixa de restinga. Neste caso, trepadeiras são mais comuns. A floresta alta ocorre principalmente em solo arenoso de origem marinha, muitas vezes misturado com argila, e conta com uma camada superior de húmus que favorece o desenvolvimento das plantas maiores. Normalmente, ocorre em áreas com inundação periódica.

Os animais que habitam este tipo de bioma pode ser migratórios ou residentes, dividindo-se sobretudo em aves e mamíferos de tamanho médio – destacando-se macacos, como o bugio.


Compartilhe!

Comentar

Clique aqui para postar um comentário