Início » Biologia » Solo Argiloso: composição e características

Solo Argiloso: composição e características

Compartilhe!

Os diferentes tipos de solo, incluindo o solo argiloso, cobrem a parte sólida da superfície do planeta e, mais do que isso, representam a base onde toda a vida não aquática surge, fornecendo os elementos mais básicos para a formação de uma paisagem e de um bioma.

Um diferente tipo de solo leva a diferentes tipos de vida que pertencem àquele local, assim como diferentes formas de o meio externo influenciar o local. No caso do solo argiloso, também conhecido como solo pesado, apresenta um grande interação com as estações do ano, além de representar um tipo de solo geralmente pouco associado ao fácil desenvolvimento da vegetação que exige raízes profunda, mas é bastante fértil para cultivo de certos tipos de planta.

Entenda melhor a formação do solo argiloso, suas principais características e o tipo de vida que desenvolve-se em torno deste ambiente:

Composição do solo argiloso

Considera-se argiloso o solo que é composto por cerca de 30% de argila – que geralmente é acompanhada de alguns tipos de metais – em especial, ferro e alumínio. Junto ao solo, há uma rica concentração de material orgânico vindo de plantas e animais que foram incorporados à sua composição.

Outras característica típica da composição do solo argiloso é a alta concentração de água em suas camadas superiores – em épocas não secas. Por ser muito compacto, o solo argiloso não favorece que a água penetre em grande profundidade, e tende a ficar encharcado.

Em estações secas, no entanto, sua natureza argilosa faz com que o solo fique seco em sua camada superior, formado uma superfície dura e com pouca porosidade. Isso permite pouca circulação de ar, o que dificulta o desenvolvimento de vegetação durante o período.

Características do solo argiloso

Há alguns aspectos típicos deste tipo de solo, que formam suas principais maneiras de identificação. Entre essas características, destacam-se:

  • Altamente compacto e pouco poroso: o solo argiloso é formado por pequenos grãos que acomodam-se de forma a gerar um solo bastante compacto. Isso gera uma baixa porosidade no solo, além de fazer com que ele seja pouco permeável, dificultando a passagem de líquidos;
  • Alta retenção de líquido: por ser pouco permeável e poroso, a água que não consegue aprofundar-se no solo acaba acumulando-se nas camadas superiores, que tornam-se barrosas;
  • Rico em nutrientes: apesar da dificuldade de distribuição da água através de sua profundidade, o solo argiloso é rico em nutrientes diversos em função da concentração de materiais orgânicos. Isso leva à baixa acidez, e facilita o cultivo – especialmente em culturas agrícolas que não exige o desenvolvimento profundo de raízes;
  • Resistente à erosão: por ser compacto e pouco poroso, o solo argiloso é menos propenso a sofrer os efeitos de erosão por agentes externos;

Solo argiloso no Brasil: a terra roxa

No Brasil, muitas pessoas referem-se ao solo argiloso como Terra Roxa, em função de seu tom avermelhado ou, em alguns locais, roxo. Este tipo de solo é comum no Sul, no Sudeste e no Centro-Oeste do país. Este tipo de solo específico também é conhecido como terra vermelha ou terra colorada, e está presente na Argentina.

O solo destacou-se com a imigração italiana e alemã para o Brasil, quando os italianos a nomearam de “rossa”, que significa vermelho em sua língua nativa, e acabou convertendo-se para “roxa” por uma adaptação fonética.


Compartilhe!

Comentar

Clique aqui para postar um comentário