Início » Português » Gramática » Ortografia » “Bem feito”, “bem-feito” e “benfeito”: quando usar?

“Bem feito”, “bem-feito” e “benfeito”: quando usar?

Compartilhe!

A língua portuguesa é cheia de pequenas situações que tornam difícil sua compreensão plena. Uma delas é a relação entre as expressões “bem feito”, “bem-feito” e “benfeito”. Embora as três sejam muito parecidas – tanto de forma sonora quanto de forma escrita, há uma enorme diferença entre as três.

“Bem feito”, “bem-feito” e “benfeito” significam coisas bastante diferentes. A boa notícia é que língua portuguesa e – em especial – a Academia Brasileira de Letras possuem essa situação muito bem definida e regulamentada.

É importante lembrar que, neste caso, não é correto dizer que um é certo ou errado sem a apresentação do contexto. Prestar atenção nisso é importante especialmente em provas, pois – às vezes – algumas questões são feitas como espécies de “armadilhas”. Por isso, a opção correta depende exclusivamente da situação e de que a pessoa que escreve os termos conheça essas regras.

Entenda quando utilizar “bem feito”, “bem-feito” e “benfeito”:

Quando utilizar “Bem feito”?

Bem feito é o termo destinado ao uso mais irônico e espirituoso entre os três termos. A utilização do termo “bem feito” é sempre em um contexto de interjeição, como uma espécie de reação a um senso de justiça presente em algo ocorrido.

É o caso de exemplos como:

– Ele saiu sem avisar, perdeu as chaves de casa e precisou pedir ajuda para o porteiro. Bem feito!

– Bem feito! Falei que alguém tropeçaria se você não tirasse os sapatos do caminho!

Não há, nestes casos, algo efetivamente feito para ser caracterizado desta forma. É uma interjeição que demonstra satisfação por saber de algo ocorrido – em geral, algo negativo para alguém. É apenas nestes casos que o uso da grafia “bem feito”, de forma separada, é utilizado.

Quando utilizar “Bem-feito”?

A expressão “bem-feito”, por sua vez, é a melhor regulamentada entre “bem feito”, “bem-feito” e “benfeito”. É definida pela Academia Brasileira de Letras com um adjetivo, e sempre deve ser escrito com o hífen.

A expressão significa algo feito de forma caprichada, com qualidade. É a expressão que utilizamos para elogiar algo, como nos exemplos:

– Seu texto está bem-feito.

– Este quadro está primoroso! Cada detalhe nele é bem-feito.

Utiliza-se o termo como um adjetivo único. Por isso, é essencial que sempre seja mantido o hífen que o identifica como tal. A não utilização do hífen converte a palavra na interjeição apresentada no trecho anterior.

Quando utilizar “benfeito”?

Benfeito, por sua vez, é um substantivo. Um benfeito significa, em outras palavras, uma benfeitoria, algum benefício realizado a respeito de alguma coisa. Embora seja foneticamente parecido, “benfeito” possui uma origem diferente das outras duas expressões, e é escrito com “n”.

É utilizado em exemplos como:

– A ponte é um benfeito inestimável à vizinhança.

– O benfeito trouxe grande melhoria na qualidade de vida local.

Utiliza-se, nestes casos, o substantivo como uma forma de referenciar algo já pressupondo sua natureza benéfica em algum sentido. A dica para não errar, nesse caso, é sempre associar o “benfeito” à ideia de benfeitoria.


Compartilhe!

Comentar

Clique aqui para postar um comentário