Início » Português » Literatura » Ferreira Gullar: vida e obra

Ferreira Gullar: vida e obra

Compartilhe!

Entre os grandes nomes da literatura nacional está Ferreira Gullar. O autor, natural do Nordeste, ao longo de sua vida, construiu para si um nome de respeito, tanto em relação a Literatura, como em relação ao cenário político nacional. Por esse motivo, vale a pena conferir um pouco da sua vida e biografia relacionadas à história nacional.

Na sequência, é necessário estudar a carreira de Ferreira Gullar, de modo a destacar desde as suas primeiras produções até as derradeiras. Além disso, vale a pena analisar o período histórico e literário vivido, bem como a sua contribuição para a formação de importantes correntes de produção. Dessa forma, chegaremos ao cerne da sua produção, ou seja, seu estilo de escrita.

Vida e biografia

José Ribamar Ferreira, ou como ficou conhecido, Ferreira Gullar, foi um escritor e poeta nascido em São Luís, no Maranhão, em 1930. O pseudônimo foi inventado por ele mesmo, que retirou um sobrenome do pai ─ Ferreira ─ e outro sobrenome de sua mãe ─ Goulart, que transformou-se em Gullar. No Maranhão participou da fundação de importantes movimentos literários, e mais tarde mudou-se para o Rio de Janeiro.

Além da carreira de escritor, Ferreira Gullar também foi um militante político durante o período dos governos militares. Sua filiação ao partido comunista brasileiro levou-o a se exilar do Brasil e a morar em diferentes países, como a então União Soviética, Argentina e Chile.

Foi agraciado por diversos prêmios, especialmente durante o final de sua carreira, e em 2014 foi considerado um imortal da Academia Brasileira de Letras. Em 2016, Ferreira Gullar falece aos 86 anos, na cidade do Rio de Janeiro.

A carreira

Seu início de carreira deu-se no mundo jornalístico, sendo editor de algumas revistas e trabalhando em diferentes jornais, sobretudo no Rio de Janeiro. Como escritor e poeta, Ferreira Gullar teve papel fundamental nos movimentos Concretista e Neoconcretista. Durante o governo de Jânio Quadros, foi o diretor da Fundação Cultural de Brasília.

Vale ressaltar que apesar das inúmeras publicações, Ferreira Gullar não se limitou ao ofício de escritor de poeta. Ele também exerceu a profissão de crítico de arte, tradutor, memorialista e ensaísta.

Seu primeiro livro de poesia foi publicado em 1949, com o título de ‘Um pouco acima do chão”. Apesar da primeira produção ser atrelada a movimentos como o Parnasianismo, seu estilo foi sendo modificado aos poucos, passando pelo concretismo e neoconcretismo. Suas produções mais maduras continham forte crítica social e engajamento político.

O contexto histórico vivido

Como já citamos, Ferreira Gullar viveu em pleno contexto da Guerra Fria, bem como da ascensão e queda dos regimes militares. O contexto histórico, portanto, influencia bastante sua produção. Vale destacar que dentre os movimentos literários da literatura contemporânea, Ferreira Gullar teve papel fundamental em dois.

O movimento concretista foi seguido por Ferreira Gullar, sendo o primeiro poeta a ser reconhecido como concretista. Porém, divergências teóricas o afastam do grupo, o que leva ao surgimento do movimento Neoconcretista. Este, encabeçado por Gullar juntamente com Hélio Oiticica e Lígia Clark, se diferencia do anterior sobretudo pelo engajamento político como tema.

O estilo literário

Ferreira Gullar utiliza em sua produção a crítica social e a necessidade de lutar contra a opressão. Suas convicções políticas o levaram a criar uma obra reconhecidamente engajada com o meio social, mesmo após sua desilusão com o socialismo por conta do seu fracasso prático.

Além disso, integrando os movimentos concretistas, Gullar trabalha não só a palavra escrita, mas o espaço que ela ocupa. O poema torna-se não só um conjunto de palavras, mas um conjunto estético como um todo, o qual traz também uma mensagem política. Sua linguagem é inovadora e simples, e com muita habilidade o autor relaciona a esfera visual e verbal.


Compartilhe!

Comentar

Clique aqui para postar um comentário