Início » Vida de estudante » Sic: Significado e utilizações do termo

Sic: Significado e utilizações do termo

Compartilhe!

Se você já realiza pesquisas em nível acadêmico, certamente viu ou utilizou o termo sic ao menos uma vez. Trata-se de um indicador muito comum em publicações e pesquisas de todas as áreas. É mais um daqueles  termos universais derivados do latim, que são repetidos até que seu significado original seja perdido por quem o utiliza.

Sic significado

Se você quer saber o que significa o sic, e qual a forma correta de sua utilização, confira a explicação abaixo e acabe com as dúvidas:

O que significa o sic?

Como já mencionado, a expressão é herdada do latim, onde é um advérbio. Em resumo, pode-se traduzir a palavra como “desta forma”, ou “exatamente assim”. Contextualmente, a utilização do sic após um trecho significa dizer “é exatamente desta maneira que está escrito no material original”.

Em outras palavras, o termo designa a responsabilidade de quaisquer questões gramaticais ou sintáticas para o autor do trecho.

Quando utilizar o sic?

O termo possui uma utilização bastante debatida, mas precisa. Existe apenas um tipo de circunstância em que ele pode ser utilizado, e o julgamento de sua utilização ou não depende da forma como o autor o interpreta.

Sua utilização só é feita durante citações de outros autores em um artigo acadêmico. Deve-se utilizar o termo quando, na citação, há algum erro gramatical ou sintático. É uma forma de sinalizar que “assim está no texto original, não se tratando de um erro de quem citou o trecho”.

Em outras palavras, o sic deve ser utilizado para indicar que o autor está ciente do erro contido na citação, mas não pode modificá-lo pois não é um trecho por ele escrito. É uma forma de respeitar a escrita original do autor, sem deixar que isso se converta em um erro para quem a cita.

Quando  não “sicar”?

Em função da falta de conhecimento sobre o significado da palavra, muitas pessoas “sicam” (como fala-se no meio acadêmico) de maneira enganada. É comum encontrar textos que utilizam a expressão logo após todas as citações, como uma espécie “amém” após orações.

Tal utilização está incorreta. Ao fazer uma citação, o autor já pressupõe que aquilo texto contido é idêntico ao que consta no original. Caso contrário, não faria uma citação, mas uma referência livre.

Não há motivos para utilizar o termo, a menos que haja um erro evidente que precise ser sinalizado como um erro do original, e não do momento da transcrição.

A utilização do sic segundo a ABNT

Prova de que o termo possui uma utilização bastante específica, é a forma como a ABNT o recomenda.  Segundo as normas de pesquisas científicas, deve-se utilizar a expressão entre colchetes imediatamente após o erro sinalizado.

Uma forma correta de sua utilização seria:

“Este é um exemplo [sic] de utilização adequada”.

Maneiras de indicação diferentes não estão de acordo com as normas regulamentadoras brasileiras.

Utilização do sic passim

Além do, é comum encontrarmos a utilização do chamado “sic passim”. Trata-se de uma forma de indicar que aquele erro será reiterado em vezes futuras na citação. Se nosso caso anterior repetisse a mesma palavra faltando uma letra algumas vezes, o primeiro erro deveria ser acompanhado de [sic passim], sem a necessidade de indicação nos erros futuros.

Sicar ou não?

Existe, ainda, uma questão supostamente ética na utilização do termo. Alguns estudiosos de metodologia indicam que sicar uma citação pode ser pouco cordial com o autor citado.

No entanto, quem defende sua utilização define que trata-se de uma forma de respeitar o texto original, indicando apenas que aquele erro não é na transcrição da citação, mas no original.

Em geral, recomenda-se utilizar o sic sempre que necessário, como uma forma de evitar confusões a respeito da origem do erro.


Compartilhe!

Comentar

Clique aqui para postar um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *