Início » História » Guerra dos Emboabas: o que foi?

Guerra dos Emboabas: o que foi?

Compartilhe!

A Guerra dos Emboabas é o nome dado a uma importante disputa ocorrida na região de Minas Gerais no início do século XVIII. A disputa representa um conflito que formou-se em relação à exploração de minas de ouro, que perduraria, em episódios mais pulverizados, ao longo da história.

A Guerra dos Emboabas trata do conflito entre os bandeirantes que encontraram minas e reclamavam o direito de exploração exclusiva e portugueses vindos de outros pontos da colônia, com a intenção de poder, também, viver das minas ricas em ouro.

O próprio nome “emboabas” faz referência ao apelido pejorativo que era atribuído aos recém chegados, pelos bandeirantes. Tratava-se do nome que davam às botas e enfeites exagerados destes migrantes. O episódio é um dos mais icônicos da história colonial, especialmente no que diz respeito à atuação bandeirante e à forma como os territórios eram conquistados e utilizados, nos primeiros séculos de exploração.

Saiba mais sobre a Guerra dos Emboabas, seu desenvolvimento e efeitos:

Contexto histórico

O contexto histórico no qual ocorre o conflito é o de descoberta de jazidas ricas em ouro em Minas Gerais. Desde o século XVII, a descoberta atraiu uma enorme população com fins de exploração do mineral. Isso formou cidades, estruturas sociais e, claro, conflitos.

Havia, em geral, duas origens das pessoas que passavam a ocupar estas regiões mineiras. De um lado, portugueses e seus descendentes que vinham do nordeste, razoavelmente perto da região. De outro, os chamados bandeirantes que, não raras vezes, descobriam novas jazidas, mas tinham dificuldades em manter a possa do território e o direito de exploração.

Fato é que a percepção de várias minas de ouro próximas na região chamou a atenção de muitos brasileiros, que enxergavam a oportunidade de uma vida melhor na extração do metal. Com um governo ainda em busca de estruturação, na metrópole, os conflitos desregulados para poder ficar com o ouro acabavam sendo mais comuns do que se pode imaginar.

Causas da Guerra dos Emboabas

Entre as causas da Guerra dos Emboabas, há uma muito mais proeminente e central: o desejo de exploração do ouro das jazidas. Por um lado, bandeirantes buscavam manter o monopólio do local encontrado, enquanto migrantes recém chegados buscavam, também, sua oportunidade.

Além disso, havia a busca pela exploração do mercado paralelo em relação à estrutura total. Nas rápidas populações que cresciam para a exploração da terra, a venda de bens básicos de alimentação e consumo tornava-se uma atividade lucrativa e, obviamente disputada. Era a exploração destas oportunidades de negócio, na região que passou a gerar conflitos entre os diferentes grupos, ao ponto em que a luta armada tomou vez.

Conflito entre bandeirantes e emboabas

A situação tornou-se insustentável em 1707, quando os chamados emboabas fizeram investidas militares contra os bandeirantes paulistas, com a intenção de expulsá-los da região. Os bandeirantes eram, na prática, exploradores que contavam com condições precárias de manutenção. Muitas vezes, boa parte do grupo era formada por pessoas marginalizadas e sem oportunidades, com pouco estudo e conhecimento.

Assim, os emboabas foram, aos poucos, tomando o espaço. Inicialmente, o comércio de bens e suprimentos. Em seguida, algumas das principais áreas de mineração da colônia eram dominadas. A investida chegou ao ponto de Nunes Viana, líder emboaba, ser nomeado governador da região, o que finalmente afetou a metrópole portuguesa.

Em 1709, a Coroa interviu no conflito e encerrou-o, tomando medidas centralizadoras em relação à mineração, além da regulamentação de seu modelo de exploração.

Consequências da Guerra dos Emboabas

Com a intervenção portuguesa, separou-se as capitanias do Rio de Janeiro, Minas Gerais e São Paulo. O processo de divisão fez parte do processo de regulação mais avançado para distribuir lotes específicos de mineração entre os interessados.

A Coroa toma para si, nesta oportunidade, a exploração do ouro na região de Minas Gerais. Além disso, cria o famoso “quinto”, que era a cobrança de imposto sobre toda a extração de ouro. Os bandeirantes derrotados mudam-se para Goiás e Mato Grosso, onde descobrem novas minas que podem explorar.


Compartilhe!

Comentar

Clique aqui para postar um comentário