Início » Geografia » Meridiano de Greenwich

Meridiano de Greenwich

Compartilhe!

O Meridiano de Greenwich, é a marcação “imaginaria’’ que corta o Globo na vertical, ou seja de norte a sul. A sua função é demarcar os dois e hemisférios da Terra, o Oriente e o Ocidente.

Tem esse nome, pois a sua linha passa pelo Observatório Real em uma região a leste de Londres, denominada Greenwich.

A risca passa também por dois continentes e sete nações. No continente europeu, ela corta três países, Inglaterra, França e Espanha. Já na África são cinco territórios, Mali, Argélia, Gana, Burkina e Faso.

Ele tem como finalidade ajudar as pessoas a medir distancias e se localizarem no Globo Terrestre. Ele é denominado o ponto 0° (zero grau) na medição de longitude.

Uma linha muito importante que faz par com a meridional é a Linha do Equador. Não podemos entender por completo o Meridiano de Greenwich sem saber como funcionam os meridianos e paralelos.

Os paralelos cortam o globo com linhas horizontais de norte a sul, já os meridianos com linhas de leste a oeste.

Origem

O seu nome nem sempre foi Meridiano de Greenwich, antes de ser oficializado ele era conhecido como “Meridiano de Coimbra” por portugueses. Já pelos franceses era “Meridiano de Paris” e por espanhóis “Meridiano de Cádis”.

O Meridiano e Greenwich foi mundialmente reconhecido no final do século XIX, no ano de 1884, ele trouxe muitas facilidades para o homem se localizar no Mundo. Porém antes dele, essas medidas era feitas de outra forma.

As medidas eram contadas através do tempo do sol em Lisboa. O tempo solar aparente é contado de acordo com a rotação diária do sol em um respectivo lugar, nesse caso em Portugal.

Porém após uma convenção feita na capital do EUA, no ano de 1884, com a participação de 25 nações, foi determinado como marco 0°, a linha situada em Greenwich.

 

Longitude e Latitude

Além da linha de Greenwich, existem outras verticais que cobrem todo o Globo de leste a oeste, chamadas de Longitude ou meridianos. Elas são contadas a cada 15° (quinze graus), e servem também para medir o fuso horário.

Para facilitar o entendimento, as linhas que ficam a esquerdo do Meridiano de Greenwich, são contadas de forma negativa, ou seja -15°, -30°, -45°. Já as que estão do lado direito, são contadas positivamente, 15°, 30°, 45°.

O seus graus vão do 0° (zero grau) até 180° (cento e oitenta graus), isso positiva ou negativamente.

Existe outra marcação denominada “AntiMeridiano”, que é a linha de grau 180°, que fica localizada na Rússia. Ela fica do lado oposto a do Meridiano, como se fosse na outra metade do mundo.

Essa linha de 180° também é utilizada para marcar a mudança de dia.

Além das linhas que cortam a Terra verticalmente, existem os traços horizontais, que cortam de norte a sul, a partir da Linha do Equador (ponto 0°). Elas são chamadas de Latitude.

Elas dividem o planeta em hemisférios: norte e sul. São conhecidas como paralelas.

A sua contagem é bem parecida com a da longitude. Começa no 0° (Linha do Equador ou marco zero) e vai até 90°, positivo ou negativo. As suas linhas são paralelas e contadas a cada 30° (trinta graus).

A relação do fuso horário com o Meridiano de Greenwich

O Globo Terrestre, devido a forma em que gira em torno do sol e em volta de si mesmo, faz com que tenham diferentes horas ao redor do mundo. Para poder fazer a conta e entender melhor, foram divididos em 24 faixas de fusos.

Para se entender e contar as 24 faixas horarias do fuso, usa-se os meridianos para auxiliar. São linhas que cortam o globo do Polo Norte até o Polo Sul.

Vamos começar do ponto em que o Globo Terrestre é um círculo perfeito, ou seja, ele tem 360° (trezentos e sessenta graus). O tempo que a terra demora para completar uma volta é de 24 horas.

Então se dividirmos o tamanho da Terra pelo tempo que ela demora para dar um volta (360° dividido por 24 horas) teremos resultado de 15° (quinze graus). Logo a cada 15° que a Terra gira, se passa uma hora.

Dessa forma foram feitas as 24 faixas de divisão de hora. A cada 24 horas de rotação, o planeta passa pelo marco zero novamente. As faixas cortam de norte a sul, então por toda a sua extensão tem o mesmo horário.

Entendo o que foi explicado acima, fica mais fácil de fazer as contas. No ponto 0°, que seria a linha do Meridiano de Greenwich, conta-se as horas como conta-se as latitudes.

Como a cada 15° é uma hora, do ponto 0° para esquerda, vai se diminuindo as horas a cada linha. Já para a direita a cada faixa, se adiciona uma hora.

O Brasil adota 4 fuso horários. Nomeamos eles de Fuso 1, Fuso 2, Fuso 3 e Fuso 4, eles indicam os horários de algumas regiões no pais. Veja em que fuso cada estado se encontra:

  • Fuso 4: o Acre e uma parte do sudoeste da Amazônia pertencem a esse fuso, ele é representado por -5GMT, ou seja, menos 5 horas da faixa do Meridiano de Greenwich (marco 0°
  • Fuso 3: são menos 4 horas da faixa de marco 0°, nele ficam os estados de Rondônia, maior parte da Amazônia, Roraima, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. Se representa com -4GMT
  • Fuso 2: é o horário de oficial de Brasília, que prevalece no Brasil, é simbolizado por -3GMT. Os 22 estados nesse fuso são, AP, PA, MG, SP, RJ, BA, DF, GO, RS, CE, RN, RS, PR, PE, PI, PB, AL, SE, ES, SC e TO.
  • Fuso 1: sua representação é dada por -2GMT, são menos duas horas da faixa de marco 0°. Uma parte dos estado de Pernambuco, Alagoas, Rio Grande do Norte e Paraíba ficam nele.

Existem 11 fuso horários na URSS, por ela ser o pais de maior extensão do Planeta. Já na China, tem 4 faixas de fuso, porém só é valido um fuso por todo o país, é o de sua capital Pequim.

Enquanto em São Paulo são 7 horas da manhã, no Japão são da noite, são doze horas de diferença.

O Meridiano de Greenwich foi uma ferramenta inventada para facilitar a vida das pessoas em vários quesitos, e atualmente se torna indispensável para o entendimento dos fuso horários.


Compartilhe!

Comentar

Clique aqui para postar um comentário