Início » Física » Oceano Atlântico: características e peculiaridades

Oceano Atlântico: características e peculiaridades

Compartilhe!

É muito importante o estudo do Oceano Atlântico, não devido somente as suas importâncias geográficas, mas também econômicas. Primeiramente, o nome atlântico deriva do grego  atlas, o qual é uma divindade grega. Por este simples motivo as vezes é comumente relatado como mar de Atlas.

A medida que o tempo perpassava, novas designações eram transmitidas, como mar ocidental, ou mar do norte, que hoje designa somente uma parte do Atlântico. Em 1569, Mercator fez com que houvesse o reaparecimento da nomenclatura mais antiga, Atlântico, que está presente até hoje nos principais atlas vendidos para os estudantes. Sendo assim, vamos analisar os pontos mais importantes sobre o Oceano Atlântico, como suas dimensões, a importância, sua origem e história.

Dimensões

Sabemos que o Oceano Atlântico não é o maior do mundo, mas este fica na segunda posição, atrás do pacifico, dividido em Atlântico Norte e Atlântico Sul pela Linha do Equador. Este que está em discussão tem grandes dimensões sendo elas 106 milhões de km² e aproximadamente 7750 metros de máxima profundidade, o que torna suas aguas 20% do território mundial e sua importância econômica altíssima.

Tem suas delimitações com a Europa e África à leste, América do Sul, América Central e América do Norte à oeste, ao sul faz conexão com o mar glacial antártico e ao norte com o mar glacial ártico.

Importância

Antigamente a importância dada ao Oceano Atlântico era devido a busca de rotas marítimas para as índias, pelo motivo do bloqueio feito pela Itália, onde eram cobrados altos impostos. Atualmente, a importância deste oceano não se deve somente à alta atividade pesqueira feita, mas também pelos fios de fibra ótica que passam submersos por ele. E também é importante destacar a alta biodiversidade encontrada no Oceano Atlântico devido à maioria dos rios do mundo desaguar nele.

Outra questão importante do Oceano Atlântico foi ele ser objeto de estudos para a corroboração da teoria da deriva continental e da formação de evolução das placas tectônicas por causa da expansão do assoalho oceânico prova disso é a dorsal meso-atlântica que esta localizada entre as placas tectônicas sul-americana e africana.

Origem

O meio ambiente terrestre possui inúmeros ciclos, mas, em especial, o hidrológico auxiliou na origem do Oceano Atlântico e também proporcionou modificações de clima em algumas áreas do planeta Terra. Grandes bacias fazem parte desta origem, como a do Mississipi, São Lourenço no Atlântico Norte e a do Amazonas no Atlântico Sul, e é considerado o oceano mais salgado por correntes frias em altas latitudes e correntes quentes na área equatorial.

A corrente de Benguela percorre a costa sul-ocidental africana, na direção equatorial, e são compensadas pelas correntes quentes do Brasil e Equatorial Atlântica, pela corrente do Golfo, que tem influência sobre os climas da Europa do noroeste, tornando-os menos rigorosos. Essa circulação das águas favorece uma maior oxigenação e a proliferação de plâncton, definindo importantes zonas de pesca, como as costas do Brasil.

História

Os antigos velejadores apelidavam o Atlântico de mar Tenebroso ou mar Oceano, devido a diferença existente entre ele e o mar Pacífico, e neste momento só eram feitas navegações costeiras comandadas por Gil Eanes. No século XV, portugueses intensificaram esta navegação costeira pela técnica de navegação por latitude, a qual tinha como ponto de observação a estrela polar ou do sol do meio-dia, tendo facilitações com o uso da bússola e astrolábio.

Hoje, o mesmo oceano que outrora fora explorado somente pelos corajosos, é atravessado por diversos navios de turismo e de cruzeiro. As rotas marítimas entre os continentes africano, europeu e americano têm, portanto, importante função econômica no transporte de pessoas e mercadorias.


Compartilhe!

Comentar

Clique aqui para postar um comentário