Início » Português » Quando usar interrogação e exclamação juntas?

Quando usar interrogação e exclamação juntas?

Compartilhe!

Quando aprendemos a pontuar os períodos, ainda no processo de alfabetização, nem sempre é ensinado o uso da interrogação e exclamação juntas. Aprendemos, desde o início, que pontos de interrogação devem ser utilizados para a indicação de perguntas, enquanto pontos de exclamação demonstram exaltação, assertividade enérgica ou surpresa.

Ao longo das leituras, no entanto, torna-se mais comum encontrar este fenômeno. Especialmente em falas, o uso de interrogação e exclamação juntas é razoavelmente comum, e claramente expressa algo distinto dos usos singulares de cada uma destas pontuações.

Trata-se de um recurso muito interessante para a língua portuguesa, que auxilia a adicionar um certo nível de subjetividade ao texto, que raramento é obtido apenas com palavras. Trata-se de uma possibilidade de conferir nuance às frases escritas, e é uma ferramenta poderosa, quando utilizada da forma apropriada.

Saiba quando usar interrogação e exclamação juntas, qual seu significado, e alguns cuidados necessários para não incorrer em erros:

Cada um com seu significado

O primeiro passo para compreender o uso da interrogação e exclamação juntas é entender que não se trata de uma forma distinta de pontuação em relação à língua portuguesa. Pelo contrário: o uso da pontuação dupla indica precisamente a soma dos significados individuais do ponto de interrogação e do ponto de exclamação.

Isso indica que seu significado é a união de uma indagação inicial, seguida quase instantaneamente por admiração, surpresa ou espanto. Nada mais é, na prática, do que a soma de significados das duas formas de pontuação.

Quando utilizar a interrogação e exclamação juntas?

Como indicado, o uso de interrogação e exclamação juntas depende de uma situação em que se reúna uma circunstância interrogativa e – logo em seguida – admiração ou espanto. É importante notar que a ordem é parte relevante desta pontuação. Não há espanto seguido de dúvida, mas o contrário. Entende-se primeiramente um questionamento, e só então a percepção que leva ao espanto.

É nessas situações em que se utilizam interrogação e exclamação juntas, e é necessário que seja mantida a ordem do “?!”. Não há, na língua portuguesa, previsão do uso invertido destes sinais, como em “!?”.

Além de seu uso gramatical, entende-se que a pontuação deve indicar uma sinalização na forma como o texto é oralmente exposto. No caso de interrogação e exclamação juntas, entende-se que sua entonação é semelhante à de uma pergunta, mas com as sílabas finais um pouco mais prolongadas, indicando sua diferenciação em relação a interrogações comuns.

Exemplos de uso

Exemplos típico do uso de interrogação e exclamação juntas geralmente incluem a questionamentos com surpresas que indiquem, em alguns nível, uma descrença subjetiva do interlocutor. Isso quer dizer que este misto de indagação e espanto incluem, em seu subtexto, uma espécie de incredulidade de que algo tenha de fato acontecido.

É o que pode ser observado em exemplos como:

– Como assim? Você já chegou?!

– Você foi expulsa?!

– O vôo foi cancelado?!

Cuidado com exageros

Vale ressaltar que o uso de interrogação e exclamação juntas indicam um nível de subjetividade ao texto. Por isso, é mais indicado para  a representação de falas ou textos informações onde o escritor fala diretamente com o leitor.

O uso exagerado deste tipo de pontuação pode passar uma impressão caricata para o texto. Por isso, é importante entender bem sua mecânica. Se você não sente segurança para utilizar interrogação e exclamação juntas, recomenda-se recorrer à pontuação comum.


Compartilhe!

Comentar

Clique aqui para postar um comentário