Início » História » Quinhentismo

Quinhentismo

Compartilhe!

Há diversos movimentos literários que ocorreram com o passar dos anos. A literatura sempre acompanhou os acontecimentos mais marcantes da história e os sentimentos da sociedade para se adequar ao seu tempo. O quinhentismo é uma escola literária que se desenvolveu aqui no Brasil.

Conheça mais sobre o Quinhentismo e quais são os outros movimentos literários no país.

Quinhentismo no Brasil

O Quinhentismo consiste na primeira manifestação literária que ocorreu no nosso país, em 1500 (daí o nome).

O movimento não era, de fato, feito por brasileiros, afinal o Brasil tinha acabado de ser descoberto e os autores eram os portugueses. Não é um gênero muito exaltado, mas eles são uma fonte de informação a respeito dos primeiros anos que se passaram em nossas terras.

As obras tinham a temática narrativa e descritiva a respeito do nosso país, como fauna, flora, paisagens, índios, hábitos, culturas, etc.

A chamada “literatura de catequese” é uma parte do quinhentismo escrita pelos jesuítas portugueses, aqueles que tinham a missão de catequizar os índios. Essas obras tinham muitos conceitos religiosos e poemas inspirados na bíblia.

Cada escola literária possui suas características mais marcantes, no caso do quinhentismo a linguagem simples, narração descritiva, utilização de muitos adjetivos para passar ao leitor uma visão do espaço e conceitos de valor material e espiritual são os mais característicos.

Existem quatro grandes autores que são a base desse movimento literário, são eles: Pero Vaz de Caminha, José de Anchieta, Pero de Magalhães Cândavo e Manuel de Nóbrega.

Pero Vaz de Caminha: o símbolo do Quinhentismo

Pero Vaz de Caminha é, sem dúvida, o maior autor do quinhentismo brasileiro. Você deve conhecê-lo como autor da carta escrita ao Rei de Portugal na sua passagem pelas nossas terras, a “Carta de Pero Vaz de Caminha”.

Vaz de Caminha nasceu em 1450 e veio a falecer em 1500, morrendo relativamente jovem, mas deixou um rico acervo literário.

Na época que participou das Grandes Navegações que o trouxe ao Brasil era escrivão-mor da expedição comandada por Pedro Álvares Cabral. Em 1º de Maio assinou a “Carta de achamento do Brasil”.

Sua obra mais marcante, “Carta de Pero Vaz de Caminha” relatava as tentativas de contato entre os indígenas e os portugueses.

“Todos andam rapados até por cima das orelhas; assim mesmo de sobrancelhas e pestanas. Trazem todas as testas, de fonte a fonte, tintas de tintura preta, que parece uma fita preta da largura de dois dedos.” Trecho da Carta de Pero Vaz de Caminha que fala sobre os índios.

Manuel de Nóbrega

Não tão famoso como o Pero Vaz de Caminhas, mas outro autor importante que fez parte do quinhentismo. Nasceu em 1517, faleceu em 1570 e nesse tempo elaborou obras de destaques como Diálogo sobre a conversão do gentio, Informação da Terra do Brasil e Tratado contra a Antropofagia.

Ele foi o responsável pela primeira missão dos jesuítas na América e participou da primeira missa no país.

José de Anchieta

José de Anchieta já é um nome que soa mais comum aos nossos ouvidos, ele nasceu em 1534 e faleceu em 1597. Anchieta era teatrólogo, gramático, historiador, padre jesuíta e tinha um ótimo domínio da escrita.

Teve seu nome marcado por estabelecer relações com os índios (era responsável por catequizá-los) e por se tornar um defensor dos nativos pelos abusos dos portugueses.

As obras “Poema à virgem” e “Arte da gramática da língua mais usada na costa do Brasil” são as mais famosos do seu acervo, mas essas obras do quinhentismo só foram publicadas na metade do século XX.

Um caso interessante sobre o autor é que seu tempo com os índios possibilitou dominar a língua tupi.

Pero de Magalhães Gândavo

Último dos quatro principais autores do quinhentismo, o professor e gramático Pero de Magalhães Gândavo descreveu nossa fauna e flora com perfeição na sua obra “História da província de Santa Cruz a que vulgarmente chamamos de Brasil”.

As obras do quinhentismo formaram um acervo histórico que ajudou os historiadores a compreender mais o que acontecia nas grandes navegações e como se comportavam os índios, sua cultura, detalhes da região, etc.

Esse movimento literário foi o pioneiro no território que hoje chamamos de Brasil, mas muitas outras escolas literárias se desenvolveram no país até hoje.

Além do quinhentismo: outras escolas literárias

O quinhentismo inaugurou a literatura no Brasil, com o passar dos anos e com o surgimento do povo brasileiro nosso país vivenciou um grande potencial literário.

Conheça as outras escolas literárias que surgiram com um breve resumo sobre cada uma delas:

  • Barroco (século XVII): obras marcadas pela dualidade entre o mundo espiritual e o material. Os autores mais famosos são o Gregório de Matos e padre Antônio Vieira.
  • Arcadismo (século XVIII): é marcado pela razão e objetividade. A linguagem, que era sofisticada na literatura barroca, passa a ser mais simples. Cláudio Manoel da Costa foi um grande autor do movimento.
  • Romantismo (século XIX): narrações continham muitos fatos históricos como base, havia a idealização da mulher (característica muito marcante). Nomes como José de Alencar, Castro Alves e Gonçalves Dias eram grandes romancistas.
  • Realismo (século XIX): narrativa com mais realidade social e conflitos humanos. O grande nome da literatura brasileira fazia parte desse movimento: Machado de Assis.
  • Parnasianismo (entre o século XIX e XX): valorizava linguagem formal, rebuscada e detalhista. Olavo Bilac se destacou com suas obras.
  • Simbolismo (final do século XIX): a linguagem tinha um caráter bem abstrato que marcavam suas obras. Cruz e Souza e Alphonsus de Guimaraens eram os principais autores.
  • Pré-modernismo (início do século XX): linguagem coloquial e valorização dos problemas na sociedade. Euclides da Cunha, Lima Barreto e Augusto dos Anjos contribuíram com o acervo da época.
  • Modernismo (após a semana de Arte Moderna): temas do cotidiano e nacionalismo eram exaltados. Nomes conhecidos como Mario de Andrade e Manuel Bandeira marcaram a época.
  • Neorrealismo: grandes críticas sociais com Carlos Drummond de Andrade, Graciliano Ramos, etc.

O quinhentismo é apenas um de muitos movimentos literários, como já exemplificamos, mas tem grande importância histórica. Saiba mais em Vou Passar.Club


Compartilhe!

Comentar

Clique aqui para postar um comentário