Início » Biologia » Sistema Digestivo: resumo e funções

Sistema Digestivo: resumo e funções

Compartilhe!

O sistema digestivo, ou sistema digestório, é composto inteiramente para converter a comida ingerida em nutrientes, que o são absolutamente essenciais para o fornecimento de energia, crescimento e reparações no corpo. Ele é composto das seguintes partes:

Boca

A boca é o início do trato digestivo. Ao contrário do que muitos pensam, ela não serve apenas para levar o alimento ao sistema digestivo, pois alguns processos de digestão já são iniciados na boca. Mastigar “quebra” a comida em pedaços menores, tornando-a mais fácil de ser digerida, enquanto a saliva inicia o processo químico de quebra de moléculas de carboidrato.

organs-body_23-2147537323

Garganta

A garganta, ou a faringe, leva a comida da boca para o esôfago, e possui a função exclusiva de transporte.

Esôfago

O esôfago é um tubo muscular posicionado entre a faringe e o estômago. Através de contrações, ele leva a comida aos poucos para o estômago. Além disso, ele garante que a comida que está no estômago não volte para a garganta e para a boca.

Estômago

O estômago é um órgão elástico, que funciona como uma espécie de bexiga, mas que possui fortes paredes musculares. Além de armazenar o alimentos, ele auxilia a mexer e desfazer essa massa alimentar. Para fazer isso, secreta ácido e enzimas, que continuam o processo de “quebrar” a comida em partículas cada vez menores. Ao sair do estômago, a comida adquire uma consistência líquida ou pastosa, com a qual move-se para o intestino delgado.

Intestino delgado

É composto de diferentes segmentos, divididos ao longo de seus vários metros (em geral, mais de seis metros). Nele, o processo de quebra dos alimentos continua com a utilização de outras enzimas produzidas pelo pâncreas e pelo fígado – incluindo a bile.

Contrações auxiliam na movimentação do alimento pelo trato digestivo, que – em trechos mais avançados, inicia o processo de absorção dos nutrientes presente neste bolo alimentar. O pâncreas, o fígado e a vesícula são absolutamente essenciais na produção de substâncias necessárias para o a digestão.

Intestino grosso

O intestino grosso é até quatro vezes menos que o delgado, e é posicionado entre o intestino delgado e o reto. Ele recebe a substância pastosa do intestino delgado e absorve a água, transformando-a na consistência típica das fezes. O bolo fecal fica armazenado no intestino grosso até o momento apropriado para a evacuação. Além disso, algumas vitaminas são especialmente absorvida neste trecho, tornando outro responsável nos processos de absorção do sistema digestivo.

Reto

O reto é uma câmara que conecta o intestino grosso ao ânus. Ele recebe o bolo fecal deste intestino, e geralmente é neste ponto que você sente a necessidade de defecar. Além disso, o reto conta com alguns mecanismos para garantir que a evacuação só ocorra quando você permitir.

Isso ocorre pois o cérebro é sinalizado toda vez que há fezes ou gases no reto. Essa informação é interpretada pelo cérebro para decidir se é o momento de expelir este material ou não. Caso positivo, ele permite que os músculos esfíncteres relaxem e que o reto contraia-se. Se não for o momento apropriado para evacuar, os esfíncteres são mantidos em contração e o reto acomoda-se para que a sensação de necessidade de defecar seja diminuída temporariamente.

Ânus

O ânus representa a última etapa do sistema digestivo. Ele consiste em músculos do assoalho pélvico e dois esfíncteres anais (um interno e um externo). Ele é especializado em detectar conteúdo no reto, e é capaz de avaliar o tipo de conteúdo. É por isso que uma pessoa é capaz de determinar se está simplesmente com gases ou há fezes que precisam ser evacuadas.

Os músculos do assoalho pélvico ainda formam um ângulo que auxilia a evitar que conteúdos indesejados sejam expelidos sem a devida ordem consciente do organismo. Além disso, os esfíncteres anais são uma barreira final de controle – tanto para manter as fezes no reto, quanto para auxiliar que elas saiam no momento adequado.

Além disso, o esfíncter interno é um dos responsáveis por permitir que humanos não precisem preocupar-se em ir ao banheiro enquanto dorme, sendo inconscientemente controlado e contraído.


Compartilhe!

Comentar

Clique aqui para postar um comentário