Início » Filosofia » Tales de Mileto: biografia e filosofia

Tales de Mileto: biografia e filosofia

Compartilhe!

O filósofo e matemático Tales de Mileto é uma importante personalidade do pensamento grego no período chamado de pré-socrático. Vindo, obviamente, de Mileto – na Ásia Menor – foi considerado o pai da filosofia grega por ninguém menos que Aristóteles.

O foco da obra de Tales era a compreensão de fenômenos naturais de forma desassociada da mitologia, algo pouco feito no período. Sua missão foi seguida por uma série de outros filósofos que surgiram a partir desta revolução “científica”, dentro dos parâmetros da época.

Considera-se que tenha sido o primeiro pensador da tradição ocidental a desenvolver hipóteses e princípios gerais de caráter científico. Suas contribuições são especialmente importantes no campo da matemática e, em especial, no que diz respeito à geometria. Foi responsável por grandes feitos, como calcular a altura de uma pirâmide e a distância entre um navio e a costa através do domínio da geometria.

Ele também foi a primeira pessoa a estudar a eletricidade, além de desenvolver várias das regras principais da geometria como a conhecemos atualmente. Saiba mais sobre a vida e as importantes contribuições de Tales de Mileto:

Primeiros anos de vida

Estima-se que Tales de Mileto tenha nascido em 624 a.C., na cidade de Mileto. Mileto era uma cidade antiga na porção iônica da Grécia. A data de seu nascimento é uma estimativa, uma vez que não há registros precisos dela. As estimativas são baseadas em eventos determinados da história que foram influenciados por Tales, ou com os quais ele interagiu.

Fala-se que Tales pertencia a uma família da nobreza fenícia, provavelmente tendo parentescos até mesmo com um príncipe da linhagem fenícia. Algumas histórias contam que ele casou-se e teve um filho, outras contam que adotou um sobrinho, enquanto outras dizem que Tales nunca foi casado.

O empresário e o político

Segundo alguns relatos, Tales de Mileto sabia colocar em prática os seus pensamentos, envolvendo-se em atividades empresariais e políticas. Uma de suas conhecidas passagens conta a vez em que provou ser possível tornar-se rico ao comprar todas as prensas de oliva em Mileto em um ano com clima promissor para a produção.

Ao fazer isso, todos os produtores passaram a depender dele para prensar as frutas em azeite, de modo que ele rapidamente enriqueceu. Em algumas versões, Tales teria feito isso apenas para uma demonstração, sem preocupar-se com os lucros de sua empreitada, apenas para demonstrar a capacidade de enriquecimento com a inteligência.

Na política, Tales de Mileto possuía conexões importantes, e sua participação em guerras, especialmente como um conselheiro filosófico, é reconhecida em diversas fontes – principalmente por Heródoto. Sua participação em batalhas, no entanto, não é confirmada.

Tales, o sábio

Ao longo do desenvolvimento da Grécia, um “panteão” de sete sábios foi ocupado por cerca de 22 homens distintos. Estes sábios eram homens de estimada sabedoria, especialmente reconhecidos por suas frases proverbiais.

Entre os sete sábios, apenas quatro mantiveram-se no panteão ao longo de toda a história, sem ser substituído por nenhum outro. Tales foi um destes sábios, o que demonstra seu reconhecimento desde então como um grande pensador.

Teorias e contribuições

As principais contribuições atuais de Tales de Mileto estão no campo da identificação de fenômenos naturais e da matemática. Chegou a pensar sobre a natureza dos terremotos, atribuindo que o planeta estaria sobre águas, sofrendo a influência de ondas. Também acreditava que o planeta havia surgido da água, e que ela seria o elemento básico da existência.

No campo matemático, foi capaz de desenvolver uma enormidade de regras e hipóteses a respeito da geometria. Sua mais famosa contribuição é o teorema de tales, geralmente ilustrado pelo fato de ter conseguido medir a altura de uma pirâmide a partir da projeção de sua sombra, com retas paralelas.


Compartilhe!

Comentar

Clique aqui para postar um comentário