Início » Geografia » O Relevo: Importância e Formas

O Relevo: Importância e Formas

Compartilhe!

O Relevo é o conjunto de formas ou irregularidades que sobrassaem na superfície terrestre. É utilizado para demarcar as diferenças de altitude, os volumes e as desigualdades da crosta terrestre.

O Relevo é importantíssimo na demarcação da história geológica da Terra, sugerindo uma diversidade de fenómenos passados. Além disso, o Relevo influencia o clima, uma vez que as regiões mais altas são também mais frias. Por outro lado, a água doce é caracteristica das regiões mais baixas.

Formas de Relevo

O Relevo pode manifestar-se através de montanhas, depressões, planícies, planaltos, etc. O que determina cada forma de relevo é, nomeadamente, a composição mineral da crosta, a sua estrutura, e a existência (ou não) de processos sismicos, vulcânicos ou sedimentares.

  • Montanhas

São as formas de relevo que apresentam altitudes significativamente mais alta que as regiões que as rodeiam, assim como declives intensos. Entende-se que para uma elevação ser considerada montanha, terá de ter uma altitude minima de 300 metros.

Quando várias Montanhas se estendem por uma área relativamente extensa, são denominadas de Cordilheiras (por exemplo, dos Himalaias e dos Andes).

  • Planícies

Ao contrário das montanhas e dos planaltos, as planícies não se destacam pela sua considerável altitude. De facto, as planícies caracterizam-se pela sua superfície plana, e derivam dos fenómenos de vários agentes exógenos, com a precipitação e as águas marítimas.

  • Planaltos

Os Planaltos apresentam, tal como as Montanhas, uma altitude superior à área que as rodeia, todavia, a região mais alta dos Planaltos é plana, enquanto que nas Montanhas, a região mais alta é um uma espécie de pico.

Além disso, nunca atingem elevadas altitudes como as Montanhas, sendo sensivelmente menores. São, normalmente, formados por rochas sedimentares, metamórficas e magmáticas (extrusivas).

  • Depressões

Caracterizadas por terem altitudes inferiores ao nivel do mar ou das regiões à volta. As Depressões podem ser planas ou mesmo côncavas.

O processo de formação desta forma de Relevo pode acontecer de duas formas: por virtude das forças endógenas que provocam o afundamento da superfície terrestre ou através da Erosão da superfície ao longo dos anos (quando os minerais que compõem a superfície são menos resistentes e não resistem aos agentes exógenos).

Agentes Internos e Externos

O Relevo, nas suas várias formas, é então originado pela ação de várias forças ou fenómenos que, ao longo do tempo, o vão modelando. Estas forças são chamadas de agentes de relevo, podendo ser agentes externos ou internos.

Quando essas forças atuam de dentro para fora da Terra, denominam-se de agente internos ou endógenos, podendo consistir em movimentos tectónicos ou abalos sísmicos. São exemplos os vulcões (através da solidificação do magma) e o movimento das placas tectónicas.

Por outro lado, os agentes exógenos ocorrem da Atmosfera para a Litosfera (crosta terrestre) de que são exemplo as chuvas, o gelo, os mares, a ação biológica dos animais, e a própria atividade humana.

O Relevo Brasileiro

Como sabemos, o Brasil não demonstra grande relevo. O ponto mais alto é o Pico da Neblina, com aproximadamente 3.000 metros. Ainda assim, podemos encontrar Planaltos e Planícies em algumas zonas, que resultam de fenómenos internos muito antigos e ciclos climáticos.

 

Você sabia que atualmente o Homem é um dos principais Agentes modeladores de relevo? Isto deve-se ao constante aumento de áreas urbanas, à exploração de minerais, à construção de linhas ferroviárias, etc. Todas estas atividades têm ingluência na formação de Relevo.


Compartilhe!

Comentar

Clique aqui para postar um comentário